22 MAI 2024 | ATUALIZADO 23:42
POLÍTICA
Maricelio Almeida
24/06/2016 17:13
Atualizado
12/12/2018 16:35

Rosalba comenta desvios de recursos no Hospital da Mulher e se diz injustiçada

A+   A-  
Ex-governadora afirmou ainda que bloqueio de bens pela Justiça não prejudicará campanha à Prefeitura de Mossoró e atribuiu sua reprovação no Governo do Rio Grande do Norte à perseguição midiática.
Imagem 1 -  Rosalba comenta desvios de recursos no Hospital da Mulher e se diz injustiçada
Valéria Lima

A pré-candidata à Prefeitura de Mossoró pelo PP, Rosalba Ciarlini, comentou na noite desta sexta-feira (24), em entrevista ao programa Cenário Político, o bloqueio de suas contas pelo Poder Judiciário, em virtude de irregularidades cometidas no Hospital da Mulher, que resultaram em um desvio de aproximadamente R$ 12 milhões. Rosalba afirmou que é vítima de injustiça.

“Quando houve denúncia sobre a empresa Marca, autorizei de imediato uma auditoria, solicitei uma intervenção. Tinha que ficar tudo muito claro, não devíamos ficar com receio de investigar. O Tribunal de Contas tirou a responsabilidade da minha pessoa sobre esse processo. Entre ser vítima de injustiça e salvar vidas, não me arrependo nenhum instante de ter aberto o Hospital, que salvou e continua salvando vidas”, destacou.

LEIA MAIS:

Como foram desviados R$ 11 milhões na implantação do Hospital da Mulher

Justiça bloqueia bens de Rosalba Ciarlini devido aos desvios no Hospital da Mulher

Rosalba se esquiva do processo por desvio de R$ 11 mi do Hospital da Mulher

Rosalba se pronuncia sobre processo envolvendo o Hospital da Mulher

Rosalba afirma "estranhar" divulgação de bloqueio de bens feita pelo MP

 

O tema Hospital da Mulher foi tema de inúmeras perguntas encaminhadas pelos telespectadores, conforme relataram os apresentadores do programa. A jornalista Carol Ribeiro também questiona Rosalba sobre o assunto, perguntando como ela desenvolverá sua campanha ao Palácio da Resistência com os bens bloqueados.

“Minhas eleições sempre foram com a força do povo, mostrando trabalho, de porta em porta, nunca houve competição financeira. A população fez sua decisão pelo trabalho”, comentou a ex-governadora.

Reprovação

Ainda na entrevista, Rosalba afirmou que sua reprovação como governadora do Rio Grande do Norte foi resultado de perseguição midiática.

“Prejudicou muito. Ficavam repetindo uma reprovação altíssima. A reprovação era bem menor, mas ficaram batendo naquilo que era negativo, ninguém falava das coisas positivas”, apontou Rosalba após ser questionada sobre o tema por um telespectador.

LEIA MAIS:

Reprovação recorde de Rosalba no Governo aquecerá debate na campanha

Na sequência, a ex-governadora citou obras executadas em sua gestão, como a conclusão da BR-110, no trecho entre Mossoró e Upanema, estrada viabilizada por meio de recursos do Governo Federal. “Tivemos escolas reformadas, regionalização do SAMU, aquisição de ônibus escolares, construção de escolas técnicas, isso ninguém sabia”, disse Rosalba.

Alianças

Rosalba também foi questionada sobre as alianças que estão sendo estudadas vislumbrando o pleito de outubro. Ela revelou que já conversou com partidos como PMDB, PTdoB, PRB, entre outros. Perguntada sobre a possibilidade do seu grupo se unir ao da ex-deputada Sandra Rosada, adversária de quase 30 anos, Rosalba respondeu que o tempo do radicalismo já passou.

“Estamos conversando com os partidos de uma maneira geral, com todos. O importante é que uma união para encontrar a reconstrução, para que Mossoró volte a ter credibilidade e o povo esperança. É isso que temos que conversar. Política é experiência, queremos somar, o momento é outro. O vice será escolhido depois das alianças definidas. Ouvindo os partidos e o povo”, anunciou.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário