24 JUL 2024 | ATUALIZADO 18:32
VARIEDADES
Da redação
11/08/2016 08:59
Atualizado
14/12/2018 08:11

Acesso à tecnologia diminui desejo entre os casais, afirma terapeuta sexual

A+   A-  
O acesso à informação também tira o interesse do ato. “Sabe aquela frase, o que é proibido é mais gostoso? É isso. Hoje, o acesso ao mundo virtual é o que acaba afastando as pessoas. Perde-se a magia", diz terapeuta.
Imagem 1 -  Acesso à tecnologia diminui desejo entre os casais, afirma terapeuta sexual
Internet
Uma recente pesquisa americana aponta que a Geração Y, essa na qual estamos vivendo, tem menos desejo pela procura sexual. Para Izabelly Paullini, consultora do Mossoró Hoje, psicóloga e psicoterapeuta sexual, a rotina dos casais não é a mesma de tempos atrás, e é nesse ponto está à diferença.

“Antigamente quando os casais chegavam em casa de um dia inteiro de trabalho, eles iam conversar e se enamorar, atualmente, os casais chegam em casa e vão para a internet. Isso acaba tirando a libido, porque eles estão atraídos por outra coisa que não está relacionada ao sexo”, explica a terapeuta.

O acesso à informação também tira o interesse do ato. “Sabe aquela frase, o que é proibido é mais gostoso? É isso. Hoje, o acesso ao mundo virtual é o que acaba afastando as pessoas. Perde-se a magia. Por ter acesso fácil à pornografia, o ser capta que não precisa mais do outro, para satisfação sexual”, comenta Izabelly.

Além da tecnologia como empecilho na vida dos casais, a terapeuta elenca outros fatores que tem afastado os pares. “Em outros tempos, a pessoa buscava a sensação de prazer com o outro, hoje a satisfação de prazer está em outros objetivos. Ou seja, no trabalho, na relação de amigos, na própria relação sexual. A busca pela estabilidade financeira, por exemplo, retarda o desejo pelo sexo, pelo namoro. As pessoas estão focadas na busca pelos estudos, pela capacitação. Todos esses elementos acabam afastando as pessoas não só da vida sexual, como também dos namoros em si”, conclui.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário