20 JUL 2019 | ATUALIZADO 09:53
ESPORTE

Com apoio de "estranhos", mossoroense ganha 8 medalhas na Europa e Ásia

Matheus Gadelha, de 24 anos, passou 7 meses participando de competições na Europa. O atleta trouxe para casa 8 medalhas e muitas histórias para contar; “Passei dificuldade, mas me sinto vitorioso”, diz atleta mossoroense, ganhador de 8 medalhas no Jiu Jitsu
29/01/2019 23:27
Atualizado
30/01/2019 00:52
A+   A-  
Com apoio de "estranhos", mossoroense ganha 8 medalhas na Europa e Ásia
Mossoroense de nascimento Matheus Gadelha passou por mais de 40 cidades, em 18 países da Ásia e Europa, lutando Jiu Jitsu. “Passei dificuldade, mas me sinto vitorioso”, diz atleta que ganhador de 8 medalhas durante sua aventura em territórios desconhecidos
FOTOS: CEDIDAS

Depois de 7 meses viajando por países da Europa e Ásia, o professor e atleta de Jiu Jitsu, Matheus Gadelha, de 24 anos, voltou para casa trazendo 8 medalhas e muitas histórias de superação e vitórias. 

Matheus é natural da cidade de Mossoró, mas há 13 anos reside em Caicó. O atleta luta Jiu Jitsu há 11 anos, sendo 7 meses como atleta profissional. Antes disso, ele lutava somente em eventos amadores pela região.

O atleta faz parte da academia “Pitbull Brothers”, dos irmãos Patrício e Patricky Pitbull. A academia está localizada na cidade de Natal/RN. Matheus conta com a preparação do também atleta e professor, Joelmir Gadelha.

Em 2018 Matheus resolveu arrumar a mala e ir em busca do seu sonho. A princípio, ele tentou ir para os Estados Unidos, mas teve seu visto negado duas vezes.

Posteriormente, apareceu a oportunidade de participar de campeonatos na Rússia. Foram mais de 40 cidades percorridas, em 18 países da Ásia e Europa.

Matheus conta que passou dificuldades, mas em nenhum deixou de acreditar ou desistiu de lutar.  

“Aos trancos e barrancos estou aqui, feliz por ter caminhado em busca dos meus sonhos, mesmo que, na maioria das vezes, não tenha tido condições como alimentação necessária, treino e um descanso adequado”, comentou Matheus.

O atleta saiu de casa somente com algum dinheiro, fruto do apoio de 3 empresas que acreditaram nele, e a vontade de enfrentar os desafios que viriam pela frente.

Matheus diz que não sabia onde ia ficar, mas conta que recebeu muito apoio, inclusive de pessoas desconhecidas.

“Qualquer metro quadrado era local pra colocar minha manta e repousar, mas louvo a Deus por ter encontrado pessoas que disponibilizaram de suas academias e casas, mesmo não me conhecendo”, comentou.


Ao ser questionado sobre as dificuldades que enfrentou, Matheus disse que a pior parte foi a financeira. As inscrições dos campeonatos tinham um alto custo e ele precisou trabalhar para se manter.

“Foi difícil, tinha que trabalhar e lutar no mesmo dia e mesmo assim eu não deixava de dar a cara a tapa, quem faz os dois em um evento sabe o quanto é difícil”.

Matheus voltou a cidade de Caicó trazendo 8 medalhas, sendo 4 de ouro e 4 de prata. Ao todo foram 7 campeonatos. Apenas em um deles o atleta não subiu ao pódium.

O atleta foi campeão em sua categoria, peso leve, e campeão geral do Moscou Open. Também levou o ouro na categoria do Madrid Open e do Florence Open.

Ganhou o vice campeonato do Open Lisboa e do Open Paris na categoria e foi vice campeão na categoria e no absoluto do Nordic Open.

“Cheguei a competir em 7 competições. Somente em uma não consegui alcançar o pódio, resultando em 8 medalhas no total”, informou o atleta.


Apesar do pouco patrocínio e a falta de interesse da mídia local, Matheus diz que tem muito orgulho de ter representado o Rio Grande do Norte em competições internacionais.

“Mesmo com pouco incentivo financeiro e com nenhuma publicidade da parte da mídia da região, eu representei meu estado com muito orgulho”, enfatizou Matheus.

Além do orgulho em ter representado tão bem o estado, Matheus é grato a todos que, de alguma forma, o incentivaram a persistir no seu sonho.

“Todos aqueles que estavam juntos a mim, seja com uma curtida numa foto, uma oração ou mesmo um pagamento de inscrição, tinham o mesmo valor pra mim. Não tenho como citar, mas agradeço a todos que estiveram presente no meu caminho”.

O atleta finaliza mandando uma mensagem para os jovens que, como ele, sonham em fazer carreira como atleta.

“Como diz um amigo: Deus abençoa os ousados! Confie, persevere, um dia você vai chegar onde almeja. Eu ainda não cheguei, mas já me sinto um vencedor!”, concluiu o Matheus.

Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário