26 AGO 2019 | ATUALIZADO 00:27
ESPORTE

Karateca Wilson Ribeiro é convocado para sul-americano na Bolívia

Em 2011, Wilson foi campeão brasileiro na categoria de novos, em 2014, foi 3° colocado na categoria especial e 2018, vice-campeão brasileiro também na categoria especial. "Foi justamente pelo segundo lugar na final do Brasileiro ano passado que conquistei a convocação para compor a seleção brasileira", explicou
DA REDAÇÃO
28/03/2019 15:56
Atualizado
28/03/2019 16:39
A+   A-  
Karateca Wilson Ribeiro é convocado para sul-americano na Bolívia
O karateca e professor Wilson Ribeiro recebeu esta semana uma ótima notícia da Confederação Brasileira de Karatê (CBK). Foi convocado para participar do Campeonato Sul-Americano Sênior, que ocorrerá na Bolívia
Reprodução/Instagram

O karateca e professor Wilson Ribeiro recebeu esta semana uma ótima notícia da Confederação Brasileira de Karatê (CBK). Foi convocado para participar do Campeonato Sul-Americano Sênior, que ocorrerá na Bolívia. A lista foi divulgada no último dia 25 e Wilson teve o direito de participar no certame por conquistar o vice-campeonato brasileiro, que o alçou ao terceiro colocado ranking.

Em 2011, Wilson foi campeão brasileiro na categoria de novos, em 2014, foi 3° colocado na categoria especial e 2018, vice-campeão brasileiro também na categoria especial. "Foi justamente pelo segundo lugar na final do Brasileiro ano passado que conquistei a convocação para compor a seleção brasileira", explicou.

Wilson se dedica ao karatê desde o ano 2000, quando tinha dez anos, em Riacho da Cruz. Atualmente, mora em Mossoró, onde também é professor de Educação Física. E não parou mais: de atleta da seleção cearense foi trasnsferido para a federal norte-riograndense. "No ano passado, garanti minha vaga na seleção olímpica e agora, a tão sonhada convocação", conta, em entrevista ao MOSSORÓ HOJE.

O trabalho do professor e karateca é em algumas escolas e academias como professor de karatê. "Só assim consigo bancar minhas despesas com as viagens para poder competir. Infelizmente não tenho nem um patrocínio", lamenta o atleta. A confederação garante somente os cursos de hospedagem e alimentação.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário