31 OUT 2020 | ATUALIZADO 18:58
VARIEDADES
COM INFORMAÇÕES DO G1
27/11/2019 15:59
Atualizado
27/11/2019 16:00

“Podia perder tudo, menos ele”, diz pedreiro sobre cachorro resgatado em incêndio

A+   A-  
Alcides Soares, de 57 anos, perdeu a casa e tudo que tinha nela durante um incêndio, na tarde desta terça-feira (26), em Natal. O cãozinho Quinho, de 12 anos, foi resgatado por vizinhos de Alvides, antes de ser alcançado pelas chamas.
Imagem 1 -  “Podia perder tudo, menos ele”, diz pedreiro sobre cachorro resgatado em incêndio. Alcides Soares, de 57 anos, perdeu a casa e tudo que tinha nela durante um incêndio, na tarde desta terça-feira (26), em Natal. O cãozinho Quinho, de 12 anos, foi resgatado por vizinhos.
“Podia perder tudo, menos ele”, diz pedreiro sobre cachorro resgatado em incêndio. Alcides Soares, de 57 anos, perdeu a casa e tudo que tinha nela durante um incêndio, na tarde desta terça-feira (26), em Natal. O cãozinho Quinho, de 12 anos, foi resgatado por vizinhos.
FOTO: KLÊNIO GALVÃO

"A maior alegria da minha vida foi essa. Saber que ele tava vivo, salvo pelo meu vizinho. Isso pra mim foi tudo. Eu podia perder tudo, menos ele".

A fala é do pedreiro Alcides Soares, de 57 anos, sobre Quinho, o cachorrinho que morava com ele na casa destruída por um incêndio na tarde de terça-feira (26), no bairro Planalto, na Zona Oeste de Natal.

Outros dois imóveis foram atingidos pelo fogo, mas ninguém ficou ferido. Quinho foi resgatado por vizinhos do seu Alcides.

João Maria da Silva, uma das duas pessoas que ajudaram no resgate do animal, precisou enfrentar as chamas. Ele trabalhava em uma obra na casa de trás, quando percebeu a situação. De acordo com ele, o cão não foi atingido por pouco.

"O fogo já tava quase pegando ele. Começou na frente, foi tomando de conta da casa todinha, não tinha mais lugar para ele sair. Aí foi a hora que nós arrombamos (a porta) e tiramos ele", conta.

De acordo com seu Alcides, Quinho já tem 12 anos e não tem parte da visão, o que dificultou a fuga. A casa dele, onde o fogo começou, ficou completamente destruída. A motivação do incêndio ainda será apurada.

A suspeita é de que as chamas tenham se espalhado rapidamente por causa do material inflamável que havia no imóvel. Desempregado há cinco anos, Alcides se sustenta catando e vendendo materiais recicláveis.

Além de contar com a solidariedade dos vizinhos no resgate ao animal e no abrigo, o pedreiro também tem recebido ajuda para recuperar o que foi perdido. Uma academia do bairro está recebendo doações para ele.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário