02 JUN 2020 | ATUALIZADO 10:25
MOSSORÓ
ANNA PAULA BRITO
31/03/2020 18:40
Atualizado
01/04/2020 08:00

"Estou muito bem, sem sintomas há 8 dias", diz Inavan Lopes

A+   A-  
Primeiro paciente com diagnóstico positivo para Covid-19 em Mossoró, o obstetra já se curou da doença, de acordo com os protocolos da OMS. O infectologista Alexandre Motta, lembra que não existe tratamento específico para a doença e que o paciente com sintomas leves deve permanecer em isolamento domiciliar, assim como fez Dr. Inavan, somente devendo procurar uma unidade de saúde em caso de sintomas mais fortes da doença.
Imagem 1 -  "Estou muito bem, sem sintomas há 8 dias", diz Inavan Lopes. Primeiro paciente com diagnóstico positivo para Covid-19 em Mossoró, o obstetra já se curou da doença, de acordo com os protocolos da OMS. O infectologista Alexandre Motta, lembra que não existe tratamento específico para a doença e que o paciente com sintomas leves deve permanecer em isolamento domiciliar, assim como fez Dr. Inavan, somente devendo procurar uma unidade de saúde em caso de sintomas mais fortes da doença.
"Estou muito bem, sem sintomas há 8 dias", diz Inavan Lopes. Primeiro paciente com diagnóstico positivo para Covid-19 em Mossoró, o obstetra já se curou da doença, de acordo com os protocolos da OMS. O infectologista Alexandre Motta, lembra que não existe tratamento específico para a doença e que o paciente com sintomas leves deve permanecer em isolamento domiciliar, assim como fez Dr. Inavan, somente devendo procurar uma unidade de saúde em caso de sintomas mais fortes da doença.
FOTO:

“Boa tarde Amigo! Vamos aguardar mais um pouco! Estou muito bem, sem sintomas há 8 dias! De acordo com os protocolos da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde, Graças a Deus, Santa Luzia, Nossa Senhora de Fátima e São Francisco, estou curado!”.

A fala é do obstetra Inavan Lopes, primeiro paciente com diagnóstico positivo para Covid-19 em Mossoró, confirmado no dia 21 de março.

Veja mais:

Mossoró tem primeiro caso confirmado de coronavírus neste sábado, 21


O médico adotou a quarentena desde quando apresentou os primeiros sintomas, tendo também adotado o uso de máscaras e outras de medidas orientadas para evitar contaminação de outras pessoas.

Por apresentar sintomas mais brandos, Inavan não precisou buscar atendimento em uma unidade hospitalar, permanecendo em isolamento domiciliar para evitar o contágio de outras pessoas, conforme recomenda o Ministério da Saúde.

O infectologista do Hospital Giselda Trigueiro, Alexandre Motta, lembra que não existe tratamento específico e que o próprio sistema imunológico do paciente será responsável por combater a doença.

O paciente com sintomas leves deve seguir o mesmo procedimento adotado por Inavan Lopes e permanecer em isolamento domiciliar, somente devendo procurar uma unidade de saúde em caso de sintomas mais fortes da doença.

“Se os sintomas são leves, fique em casa, alimente-se bem, durma bem, isole-se para não passar pra outras pessoas. Se você está no grupo de risco, então, e não apresenta sintomas graves, não vá para o pronto socorro!”, disse.

O infectologista explica que os sintomas graves, quando aparecem, acontecem a partir do 5º dia. “É nesse dia que a pessoa começa a sentir falta de ar, dificuldade mesmo de respirar. Essa pessoa precisa ir para o pronto socorro, ser avaliada e tomadas as medidas cabíveis pela equipe de plantão na oportunidade”.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário