08 AGO 2020 | ATUALIZADO 13:32
MOSSORÓ
01/07/2020 16:18
Atualizado
01/07/2020 16:23

Mossoroenses dos grupos prioritários ainda podem se vacinar contra a gripe até 24 de julho

A+   A-  
A Campanha Nacional de Vacinação teve início em 23 de março e foi encerrada nesta terça-feira (30). Visando atingir 100% do público-alvo, definido pelo Ministério da Saúde, as vacinas continuarão a ser aplicadas nas UBSs de Mossoró; Saiba se você faz parte de algum grupo prioritário.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

O Ministério da Saúde encerrou a Campanha Nacional de Vacinação na terça-feira (30). No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde decidiu estender as ações da campanha em Mossoró, para que todo o público prioritário seja imunizado.

Assim, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) seguem, até o dia 24 de julho, vacinando as pessoas dos grupos prioritários que não receberam a dose da vacina durante as três fases da campanha iniciada no dia 23 de março.

Com mais de 91.764 doses da vacina aplicadas até o momento, de acordo com os dados inseridos no sistema do Ministério da Saúde, o município de Mossoró atingiu 95,45% de cobertura vacinal do público prioritário.

O coordenador municipal de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde, Etevaldo de Lima, explica que esses dados são atualizados constantemente, já que o departamento recebe diariamente o quantitativo de doses aplicadas por cada Unidade Básica de Saúde, responsáveis pela vacinação da população.

“É importante a gente ressaltar que mesmo tendo ultrapassado a meta de 90% definida pelo Ministério da Saúde, algumas pessoas que fazem parte dos grupos prioritários da campanha ainda não foram imunizadas. Ainda temos crianças, gestantes, puérperas, adultos de 55 a 59 anos, professores e pessoas com deficiência que deixaram de receber a vacina. Esses grupos devem procurar uma Unidade Básica de Saúde para serem vacinados. Alertamos que a imunização é uma questão de proteção social”, reforça o coordenador de Imunizações.

Para que seja alcançada a cobertura de 100% dos grupos prioritários da campanha, de acordo com o levantamento da Secretaria de Saúde, faltam ser vacinadas: crianças (9.083), gestantes (922), Puérperas (48), Adultos de 55 a 59 anos (1.350), além de um número considerável de professores e pessoas com deficiência.

O Ministério da Saúde destaca que a vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no Hesmifério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A vacina é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença e óbitos.

Ela não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde.

CONFIRA QUEM DEVE SE VACINAR CONTRA INFLUENZA H1N1

O Ministério da Saúde definiu os seguintes grupos prioritários para recebem a vacina trivalente (que protege da Influenza A (H1N1 E H3N2) e Influenza B): crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores da saúde, gestantes em qualquer idade gestacional, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), professores, indivíduos de 55 a 59 anos, idosos (a partir de 60 anos), pessoas com deficiência, indivíduos com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população privada da liberdade, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, caminhoneiros, profissionais de transporte coletivo (motoristas e cobradores), trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário