30 SET 2020 | ATUALIZADO 18:08
ESTADO
09/08/2020 10:48
Atualizado
09/08/2020 10:56

O que aconteceu com Felipe Guerra oito anos depois da Operação Ave de Rapina

A+   A-  
Na época, a cidade não tinha serviços essenciais sendo executados. Não havia estrutura na Prefeitura e secretárias. Atualmente os serviços estão funcionamento, obras foram concluídas e outras, tão importante quanto estão em fase de conclusão
Imagem 1 -  Na época, a cidade não tinha serviços essenciais sendo executados. Não havia estrutura na Prefeitura e secretárias. Atualmente os serviços estão funcionamento, obras foram concluídas e outras, tão importante quanto estão em fase de conclusão
Na época, a cidade não tinha serviços essenciais sendo executados. Não havia estrutura na Prefeitura e secretárias. Atualmente os serviços estão funcionamento, obras foram concluídas e outras, tão importante quanto estão em fase de conclusão
Anna Paula Brito

O município de Felipe Guerra, oito anos após a operação Ave de Rapina, que botou na cadeia o então prefeito Brás Costa, é uma cidade em desenvolvimento, com serviços de saúde, educação, obras estruturantes concluídas e em andamento. 

A Operação Ave de Rapina, que teve no comando o promotor de Justiça Silvio Brito, aconteceu após apuração do jornalista Cezar Alves, mostrando que o então gestor e aliados, haviam desviado, em apenas um trimestre, R$ 1,3 milhão dos cofres públicos.

Veja mais

Justiça prende ex-prefeito investigado na Operação Ave de Rapina, em Felipe Guerra

Os desvios ocorriam principalmente simulando obras em escolas, postos de saúde e na cidade, usando, inclusive, os documentos pessoais dos moradores do município, que até hoje enfrentam problemas cadastrais na Receita Federal em função disto. 

Na época, o transporte escolar, assim como as escolas e merenda, era muito precário. Atualmente, são 7 ônibus escolares bem estruturados. Os estudantes estão em casa, devido a pandemia causada pelo novo coronavirus, mas quando retornar as aulas, vão encontrar escolas reformadas.

O serviço de saúde como um todo foi todo restaurado. Própria Prefeitura Municipal, que estava caindo e não havia secretarias, foi reconstruída e instalado as 14 secretárias, que atualmente estão funcionando plenamente, oferecendo serviços que antes eram negados a população.

Entre as obras já concluídas, está a construção da estrada de acesso ao brejo, uma das regiões mais ricas do município, com solo fértil, água abundante e com possibilidade de explorar o turismo de aventura nas cavernas e nas Cachoeiras do Roncador e Araripina.

Em conclusão, se destaca a reestruturação das praças de esportes, a elaboração do plano e do projeto de saneamento básico, assim com a construção e da Central da Cidadania, que presta uma justa homenagem ao radialista e ex vereador Otoniel Maia de Oliveira.

Neste local, serão oferecidos diversos serviços de assistência a população. Dispõe até de uma piscina para hidroginástica. “Cezar, temos programas implantados por nossas equipes, que foram premiados pelo Governo Federal”, diz o prefeito Haroldo Ferreira.

Os servidores estão todos com os salários em dia e a população ouvida pela reportagem do MOSSORO HOJE reconhece que realmente muita coisa mudou para melhor no município após a Operação do Ministério Público Estadual contra a corrupção no município.

Outra obra que se destaca nos dias atuais é a construção de uma ponte com estrutura de aço sobre o Rio Apodi-Mossoró´, que permitirá o acesso as áreas de produção de arroz, extração de palha de carnaúba e torna mais perto a cidade de Caraúbas e Governador Dix Sept Rosado.

“É um investimento de pouco mais de 1 milhão, com recursos próprios, que vai permitir que a população que mora no lado direito do rio, tenha acesso a saúde, a educação, tenha a dignidade que merece”, explica o prefeito Haroldo Ferreira, que assumiu o governo em 2013 e está na conclusão do seu segundo mandato.

Em vídeo, o leitor pode conferir um pouco do que aconteceu com Felipe Guerra, 9 anos depois da Operação Ave de Rapina.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário