23 SET 2020 | ATUALIZADO 23:58
MOSSORÓ
ANNA PAULA BRITO
16/09/2020 09:20
Atualizado
16/09/2020 10:26

“Não precisamos de migalhas que sobram de Mossoró, nós somos Mossoró!”

A+   A-  
A afirmação é do Padre Gláudio Fernandes Costa, da Maísa. Em desabado na sua página pessoal do Facebook, o padre aproveitou o momento de aproximação das eleições para cobrar, mais um vez, do poder pública melhorias na comunidade e ainda reforçou que este ano pode ser de mudança para Mossoró, a depender do voto consciente do cidadão. “Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança?”, questionou.
Imagem 1 -  “Não precisamos de migalhas que sobram de Mossoró, nós somos Mossoró!”. A afirmação é do Padre Gláudio Fernandes Costa, da Maísa. Em desabado na sua página pessoal do Facebook, o padre aproveitou o momento de aproximação das eleições para cobrar, mais um vez, do poder pública melhorias na comunidade e ainda reforçou que este ano pode ser de mudança para Mossoró, a depender do voto consciente do cidadão. “Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança?”, questionou.
“Não precisamos de migalhas que sobram de Mossoró, nós somos Mossoró!”. A afirmação é do Padre Gláudio Fernandes Costa, da Maísa. Em desabado na sua página pessoal do Facebook, o padre aproveitou o momento de aproximação das eleições para cobrar, mais um vez, do poder pública melhorias na comunidade e ainda reforçou que este ano pode ser de mudança para Mossoró, a depender do voto consciente do cidadão. “Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança?”, questionou.
FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

O Padre Gláudio Fernandes Costa, responsável pelo igreja Católica da Comunidade Maísa, em Mossoró, fez um desabafo em sua página pessoal do Facebook.

No texto, o sacerdote viu no período de eleições que se aproxima a oportunidade de cobrar, mais uma vez, melhorias para a comunidade que, segundo ele, encontra-se abandonada há décadas.

Cobrou também da população a consciência de votar para promover mudanças em Mossoró. “É tempo de mudança! Mais uma vez temos nas mãos a grata responsabilidade de gerarmos mudança dentro do quadro político que está posto!”, disse no início do desabado.

Ainda segundo o padre, o polo Maísa gera 40% da renda de Mossoró, renda esta que não volta para a comunidade, promovendo desigualdade entre a cidade e o campo.

“Não enxergamos a um palmo de nossa venta, esse valor revertido em obras para nossa querida e amada Maisa! Maísa, que já foste terra e berço da agricultura irrigada, de empregos ofertados a tantas famílias, vindas dos mais longínquos torrões, que aqui fizeram história, onde está tua glória hoje?”, questionou.

Não é de hoje que o Padre Gláudio luta por melhorias na comunidade. Em janeiro deste ano, em entrevista a repórter Solange Santos, da Super TV, ele afirmou que a região está “entregue às baratas”.

Contou que não apenas a segurança é deficiente na comunidade, mas a educação, a saúde, e os serviços urbanos também são um grande problema para a população.

Veja mais:

“Nós estamos entregues às baratas”, diz Padre da Maísa, Gláudio Fernandes


Neste novo pedido de ajuda, o padre voltou a cobrar todos esses serviços que, 7 meses depois do primeiro desabafo e em quatro anos da atual gestão, não tiveram nenhum retorno por parte do poder público.

“Nós queremos segurança, educação de qualidade, saneamento e atenção básica, queremos saúde! Queremos poder erguer nossa voz e dizer que temos orgulho também de morar nas terras que expulsou Lampião e seu bando, queremos a oportunidade de dizer que o coronelismo acabou, que mentes atrasadas em forma de governar, atraem retrocessos sociais! Queremos liberdade! Queremos crescer! É pedir tanto Sra. Prefeita? É pedir demais senhores candidatos que vislumbram o Palácio da Resistência e a Câmara Municipal? Quatro anos se passaram, e o que foi feito de estrutura dentro dessa terra de São Francisco das Chagas? Nada!”. disse, ele.

O padre ainda concluiu dando um alerta aos candidatos nas eleições de novembro: “Se em Fevereiro eu disse que ia acordar o povo, se liguem! Para depois de tantos “cadê”, você não se perguntar, cadê o meu voto? #ficaadica”.


VEJA A PUBLICAÇÃO DO PADRE NA ÍNTEGRA:


Desabafo Cidadão - Em tempos de política, se não nós, quem? Se não agora, quando? É tempo de mudança! Mais uma vez temos nas mãos a grata responsabilidade de gerarmos mudança dentro do quadro político que está posto! Para o filósofo Platão, “não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam”. E neste itinerário assistimos ao longo de décadas o descaso público e desigual entre a cidade e o campo! Se porventura, o Polo Maisa gera 40% de renda para a Cidade de Mossoró, não enxergamos a um palmo de nossa venta, esse valor revertido em obras para nossa querida e amada Maisa! Maísa, que já foste terra e berço da agricultura irrigada, de empregos ofertados a tantas famílias, vindas dos mais longínquos torrões, que aqui fizeram história, onde está tua glória hoje? Está naqueles que ainda aqui, teimam em resistir ao descaso dos governantes! És terra alvissareira, pujante, boa, acolhedora, que dá frutos mil por semente! Cadê tuas ruas pavimentadas? Cadê tuas praças? Cadê tua segurança? Cadê tuas ruas iluminadas? Cadê a limpeza dos teus becos e vielas? Cadê o emprego para teu povo? Cadê as academias populares? Cadê a academia da saúde? Cadê tuas estradas vicinais recuperadas? Cadê a tão sonhada estrada do Melão? Cadê as UBSs dignas para teu povo? Cadê um cemitério para repousar teus ancestrais? Cadê a água? Cadê as escolas reformadas? Cadê o campo de futebol adequado para nossa juventude? Cadê um prédio para nossa delegacia? Cadê os projetos sociais? Cadê a auto estima do teu povo Maisa? Sei onde está! Está nas mãos daqueles que podem fazer a mudança, ao colocar novas mentes, pensantes no bem comum e partilhável para todos! A mudança está em você! Sim! Em você cidadão de bem, que paga seus impostos em dia, e não vê resultado dentro da terra que a gente ama! Não precisamos de migalhas que sobram de Mossoró, nós somos Mossoró! Nós somos a parte da economia dessa cidade! Nós queremos vez e voz para a Zona Rural! Nós queremos segurança, educação de qualidade, saneamento e atenção básica, queremos saúde! Queremos poder erguer nossa voz e dizer que temos orgulho também de morar nas terras que expulsou Lampião e seu bando, queremos a oportunidade de dizer que o coronelismo acabou, que mentes atrasadas em forma de governar, atraem retrocessos sociais! Queremos liberdade! Queremos crescer! É pedir tanto Sra. Prefeita? É pedir demais senhores candidatos que vislumbram o Palácio da Resistência e a Câmara Municipal? Quatro anos se passaram, e o que foi feito de estrutura dentro dessa terra de São Francisco das Chagas? Nada! Não queremos o básico, quando nem isso se vê mais! Queremos o necessário para nossa terra! Sei que muitos irão desdenhar! Muitos irão se fazer de rogados! Muitos virão com promessas infundadas, mas lembro que segundo o dito popular, quem enricou com promessas foi São Severino dos Ramos, ou ainda, de promessas, o inferno está cheio! Cheguem com vontade de lutar, venham com coragem de trabalhar, faça alguma coisa por nós! Não nos deixe abandonado ao Deus dará, como há quatro anos vi carros, candidatos, bandeirolas, fogos, nesta comunidade, sobretudo promessas e até agora nada foi feito! Uma pedra de paralepipedo foi colocada! E não venham colocar desculpas em questão judicial da antiga Maísa! Falta mesmo é boa vontade política e dos governantes! Avante povo da Maisa, o voto é democrático! Não se iludam com os falastrões mossoroense que só lembram de nossa gente de quatro em quatro anos! Não é o vírus da Covid 19 que vem destruindo os nossos sonhos, mas os governantes que nada fizeram por nós nesses quatro anos! Assim, como cada um de vocês, mossoroense por título, “maisense” de coração, peço! Não fiquem cegos a novas promessas! Pode até acontecer que essas palavras cairão em terreno pedregoso, a beira do caminho, que até nem produzam frutos ou efeitos, mas jamais dormirei com a consciência pesada de que não tentei colaborar com o crescimento de nossa amada terra! Sou o padre de vocês, moro na comunidade! Não venho aqui só celebrar e volto não! Eu moro aqui, tenho conhecimento de causa e vocês sabem disso! Por favor, não deixem que roubem de nós o direito de ser gente, de querermos uma comundiade melhor! Por favor, senhores candidatos, não pensem que nosso povo tem memória curta, muitos subestimam o povo, mas se o povo coloca lá, o povo também tira! Não venha com promessas, venham com projetos! Não venham com falácias, tragam e mostrem o que foi feito por vocês em quatro anos! Se o querido Padre Eliseu, lembrou naquele 02/08/2018 aqui na Maisa, que um dia essas terras seriam de vocês, e disse ainda que teríamos que ter vereador filho desta terra, que fosse filho do mato, da enxada, chegou a hora de decidir que futuro teremos e queremos para a Maísa! Temos opções, escolham o melhor! Mas lembrem-se, todo reino dividido por si mesmo, será destruído! Não sou eleitor mossoroense, não tenho candidatos de estimação! Nunca pedi votos para ninguém aqui, e nem pedirei! Apenas peço, reflitam e escolham o melhor! Quanto ao senhores e senhoras candidatos (as), a minha casa estará sempre aberta e


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário