30 NOV 2020 | ATUALIZADO 07:33
ESTADO
18/11/2020 15:56
Atualizado
18/11/2020 15:57

Latam se compromete a contemplar o RN com voos extras para exportação de frutas

A+   A-  
O RN exporta 550 contêineres, com 25 toneladas de frutas, cada um, por semana. A governadora Fátima Bezerra se reuniu virtualmente com o diretor da Latam Cargo, Alexandre Silva, para articular o aumento de voos com exportação, a partir do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.
Imagem 1 -
FOTO: SANDRO MENEZES

O Governo do Estado obteve nesta quarta-feira (18) o compromisso da Latam Linhas Aéreas em viabilizar voos para o transporte de cargas para os mercados internacionais a partir do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Em reunião virtual com o diretor da Latam Cargo, Alexandre Silva, a governadora Fátima Bezerra mostrou o potencial de exportação de frutas do Estado que é de 550 contêineres com 25 toneladas cada um por semana.

"Estamos tratando de trabalho, de emprego e desenvolvimento. Precisamos de confluências e convergências. O RN tem forte protagonismo na fruticultura no Brasil e não pode continuar enfrentando dificuldades com voos para exportar a produção. O nosso aeroporto tem instalações adequadas, o governo dialoga e é favorável aos investimentos, aos negócios, e temos produção. Por tudo isso buscamos soluções de curto e médio prazos", informou a governadora a Alexandre Silva.

O diretor da Latam Cargo se comprometeu a contemplar o RN nas escalas de voos extras e ofertar capacidade de transporte de 48 toneladas de frutas para a Europa na frequência de duas ou três vezes por semana.

O resultado dos estudos neste sentido será apresentado por Alexandre Silva em cinco dias. Ele ainda se comprometeu a estudar a inclusão do Estado nas rotas aéreas de carga da Latam a partir do início de 2021.

"Esta sugestão do Governo do RN é importante para a cadeia produtiva e para a Latam também", afirmou.

Além do transporte de frutas, a rota de cargas no RN pode também se beneficiar das grandes exportações de pescado (atum e camarão) que têm como maior destino os EUA e o Japão. Atualmente 85% das exportações de atum do Brasil são realizadas a partir do RN.

A rota de cargas também pode favorecer a companhia aérea com a importação de peças e componentes para os parques eólicos. O Estado tem 160 parques em operação, que demandam peças para manutenção, e tem 20 parques em processo de construção.

"Além de todo este potencial já em exploração temos ainda muito para ser desenvolvido na geração de energia limpa em terra e mar", enfatizou Fátima Bezerra.

As iniciativas para trazer linhas aéreas para exportar a produção a partir do aeroporto de São Gonçalo do Amarante foram determinadas pela governadora e têm à frente os secretários de estado da Agricultura e Pesca, Guilherme Saldanha, do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado e da Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

Para a reunião com o diretor da Latam, Fátima Bezerra esteve acompanhada do vice-governador Antenor Roberto, dos secretários citados e de representantes do setor produtivo e da iniciativa privada como Ibernon Martins, superintendente da Inframérica, empresa que administra o aeroporto; Alexandre Duarte, diretor da Fermac Cargo Exportação Aérea; Antônio Vale, gerente local da Fermac Cargo; José Maria Barberá Munhoz, vice-diretor da Bollo Brasil, representando o Comitê Executivo da Fruticultura do RN; Alexandre Teles, gestor do terminal de cargas da Inframérica; e Fernando Menezes, da Union of Growers of Brazilian Papaya (UGBP Exportadora).


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário