23 JAN 2021 | ATUALIZADO 22:03
NACIONAL
03/12/2020 17:29
Atualizado
04/12/2020 08:25

“Precisamos incentivar o debate sobre a mobilidade sustentável e renovável”

A+   A-  
O Senador Jean Paul Prates mediou o painel sobre veículos elétricos e suas implicações para o setor eólico nacional, na 12ª edição do Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos 2020, realizada nesta quinta-feira (3); Jean defende no Senado o estabelecimento de um marco legal da eletromobilidade no Brasil — a transição gradual para veículos elétricos ou híbridos.
Imagem 1 -  “Precisamos incentivar o debate sobre a mobilidade sustentável e renovável”. O Senador Jean Paul Prates mediou o painel sobre veículos elétricos e suas implicações para o setor eólico nacional, na 12ª edição do Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos 2020, realizada nesta quinta-feira (3); Jean defende no Senado o estabelecimento de um marco legal da eletromobilidade no Brasil — a transição gradual para veículos elétricos ou híbridos.
“Precisamos incentivar o debate sobre a mobilidade sustentável e renovável”. O Senador Jean Paul Prates mediou o painel sobre veículos elétricos e suas implicações para o setor eólico nacional, na 12ª edição do Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos 2020, realizada nesta quinta-feira (3); Jean defende no Senado o estabelecimento de um marco legal da eletromobilidade no Brasil — a transição gradual para veículos elétricos ou híbridos.
FOTO: REPRODUÇÃO

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) participou nesta quinta-feira (03), da 12ª edição do Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos 2020.

O evento reúne especialistas, empreendedores e pesquisadores para debater o futuro da chamada “indústria dos ventos” no Brasil. O parlamentar mediou o painel sobre veículos elétricos e suas implicações para o setor eólico nacional.

“Precisamos incentivar o debate sobre a mobilidade sustentável e renovável. As nossas matrizes e fontes devem se mesclar para que façamos um uso ideal delas”, afirmou.

Jean Paul defende no Senado Federal o estabelecimento de um marco legal da eletromobilidade no Brasil — a transição gradual para veículos elétricos ou híbridos.

Ele é relator do PLS 454/2017 que proíbe a venda de carros novos movidos a combustíveis fósseis a partir do ano de 2060. “É muito importante posicionar o Brasil na marcha rumo à eletrificação dos transportes”, disse.

O senador também lembrou que durante sua campanha como candidato à Prefeitura de Natal, no pleito das eleições 2020, uma de suas propostas para a eletromobilidade era reformular o sistema de transporte da capital potiguar, especialmente os ônibus, diminuindo consideravelmente os custos de operação e reduzindo o valor cobrado na tarifa para o usuário.

Prates propôs a substituição da frota atual de ônibus por veículos mais modernos, que rodem com energia elétrica, e não com óleo diesel.

O resultado disso seria uma diminuição de até 70% nos custos, ele calcula, considerando que a energia é muito mais barata que o combustível, além de poluir menos o meio ambiente. Outra vantagem é que a manutenção dos ônibus elétricos também custa menos do que nos ônibus tradicionais.

O presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE), Adalberto Maluf, lembrou o trabalho desenvolvido por Jean Paul na construção de um projeto que permitiu ao Rio Grande do Norte se transformar em um estado líder na geração de energia limpa por meio da geração eólica.

Hoje o estado possui 169 empreendimentos em operação, que somam 4,6GW de capacidade instalada, energia elétrica suficiente para abastecer todo o território potiguar e parte da região Nordeste.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário