08 MAI 2021 | ATUALIZADO 18:16
POLÍTICA
23/04/2021 17:01
Atualizado
23/04/2021 17:01

Oposição quer unir ações para criar ‘Superpedido’ de impeachment contra Bolsonaro

A+   A-  
Até hoje, a Câmara dos Deputados já recebeu 107 pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro. Segundo levantamento da Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, entre 31 de março a 6 de abril, foram apresentados 32 pedidos.
Imagem 1 -
FOTO: CEDIDA

Os partidos de oposição e os movimentos sociais seguem firmes a favor do impeachment do presidente Bolsonaro. Nesta sexta-feira (23) os autores do pedido de impeachment se reuniram a fim de unificar todas as ações e propostas, criando um ‘Superpedido’ de impeachment e incluindo todos os crimes de responsabilidades do presidente da república. O encontro reuniu mais de 170 pessoas.

Até hoje, a Câmara dos Deputados já recebeu 107 pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro. Segundo levantamento da Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, entre 31 de março a 6 de abril, foram apresentados 32 pedidos.

O último pedido protocolado foi dos líderes da oposição e da minoria que entraram com um pedido baseado na tentativa de Bolsonaro de usar as Forças Armadas para promover seu projeto autoritário de poder, o que configura crime de responsabilidade.

Na quarta-feira (14), os parlamentares apresentaram um aditamento ao pedido de impeachment, incluindo as recentes conversas telefônicas entre o presidente Jair Bolsonaro e o Senador Kajuru divulgadas pelas redes sociais do parlamentar.

“Nos últimos dias, o presidente Bolsonaro cometeu uma série de crimes de responsabilidade. Pelo andar da carruagem, nos próximos meses, teremos uma enorme lista de crimes e o impeachment do presidente da República pode se tornar inevitável. Estamos em uma reunião histórica, diante de uma demonstração de unidade política e união de esforços pelo impeachment. Precisamos colocar um fim nesse governo, que tem destruído a vida de milhares de brasileiros. O Brasil precisa voltar a sorrir!”, afirmou o líder da minoria, senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Também foram discutidas as convocações de atos online pró impeachment e algumas ações nas redes sociais. Além dos autores de pedidos de impeachment, participaram da reunião parlamentares do PT, da Rede, do PDT, do Psol, do Partido Verde, do PSB e dos movimentos sociais.


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário