08 MAI 2021 | ATUALIZADO 18:16
MOSSORÓ
ANNA PAULA BRITO E CARLA JORDÂNIA
30/04/2021 18:19
Atualizado
02/05/2021 15:34

Forte chuva causa alagamentos e transtornos em diversas ruas de Mossoró

A+   A-  
Em diversos pontos da cidade os motoristas precisaram parar seus veículos devido aos alagamentos. Na Av. João da Escóssia, motociclistas precisam colocar suas motos nas calçadas para que não fiquem cobertas pelas águas. A Defesa Civil anotou as ocorrências e vai informar a Secretaria de Infraestrutura na próxima segunda-feira.
Imagem 1 -  Em diversos pontos da cidade os motoristas precisaram parar seus veículos devido aos alagamentos. Na Av. João da Escóssia, motociclistas precisam colocar suas motos nas calçadas para que não fiquem cobertas pelas águas. A Defesa Civil anotou as ocorrências e vai informar a Secretaria de Infraestrutura na próxima segunda-feira.
Em diversos pontos da cidade os motoristas precisaram parar seus veículos devido aos alagamentos. Na Av. João da Escóssia, motociclistas precisam colocar suas motos nas calçadas para que não fiquem cobertas pelas águas. A Defesa Civil anotou as ocorrências e vai informar a Secretaria de Infraestrutura na próxima segunda-feira.
FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

Uma forte chuva que caiu em Mossoró na tarde desta sexta-feira (30) deixou diversas ruas da cidade alagadas e causou transtornos a pedestres e condutores. A região que mais choveu foi nas imediações do Hospital Regional Tarcísio Maia e do Aerporto.

Na Av. João da Escóssia, na altura do Shopping Porcino, ponto já conhecido pelos alagamentos na cidade, muitos carros ficaram impossibilitados de seguir seus trajetos. Motociclistas precisaram empurrar seus veículos para cima das calçadas para que não fossem cobertos pelas águas.

Também teve acúmulo de água na Avenida Diocesana. Neste ponto, a Prefeitura está com um investimento em andamento para ampliar a capacidade de armazenamento da Lagoa do Bispo e de ampliação do sistema de captação de água nas avenidas João da Escóssia e Diocesana. Segundo o secretário de Infraestrutura, Breno Queiroga, nestes locais só existe um bueiro de captação de água, que facilmente são entupidos no início da chuva com lixo.

A rua do Hospital São Luiz, no bairro Aeroporto I, também apresentou alagamento, praticamente, impossibilitando o acesso à unidade de saúde que atende pacientes vítimas da Covid-19. Próximo existe uma grande galeria, mas que a rua não foi projetada para que a água não acumulasse. Pudesse escoar por este canal.

No Alto de São Manoel, o teto de uma loja de automóveis chegou a ceder devido a força das água da chuva. Através de sua assessoria, a direção da loja de automóveis disse que o incidente não deixou feridos e que comunicou as autoridades municipais.

Até a última atualização desta matéria, às 18h20, chovia forte, sem pausa, há mais de 1h30 na região do abolições. na Região da Cobal ocorreu que o  enorme volume de água não terminou não encontrando caminhos para escoar em sua totalidade, porém, segundo Alcivan Gama, da Defesa Civil, rapidamente desceu após a chuva. 

Esta foi a primeira chuva que provocou alagamentos na cidade. Desde o começo do ano, a prefeitura vem realizando obras para desobstruir canais, bueiro e facilitar o escoamento das águas nas ruas. "Estamos monitorando pelo menos 88 pontos de alagamento em Mossoró e na próxima segunda-feira, vamos entregar um relatório detalhado a Secretaria de Infraestrutura, para que providencias práticas e possíveis sejam adotadas em cada ponto.

A chamada Lagoa do Bispo, que sempre provoca alagamentos nas ruas Duodécimo Rosado, Dr. João Marcelino e até na região da Cobal, está passando por um aumento de sua vazão para comportar maior quantidade de água e evitar os alagamentos.

Veja mais:

Obras na Lagoa do Bispo evitam alagamentos nas Avenidas João da Escóssia e Diocesana.

De acordo com o meteorologista e professor da Ufersa, José Espínola, os pluviômetros da Ufersa, distribuídos pelas diversas regiões da cidade, registraram volume de chuva variados, sendo 67mm no Aeroporto, 27mm no Alto de São Manoel, 12mm na região do Redenção. Já o Corpo de Bombeiros informou que na região do bairro Aeroporto choveu mais de 90 mm.

Ainda de acordo com o meteorologista, a previsão de chuva contínua durante o final de semana, porém com essa mesma variabilidade espacial, podendo chover em uns bairros da cidade e em outros, não. O chefe da Defesa Civil, Alcivan Gama, disse que a chuva pegou a todos de surpresa. A previsão era chover 5% nesta sexta-feira, 30 , e "não esta pancada d'água", diz Gama, que disse que toda a equipe da secretaria de Defesa Civil e também de segurança e mobilidade estão atentas as ocorrências de chuvas no final de semana.


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário