23 JAN 2022 | ATUALIZADO 23:18
SAÚDE
09/11/2021 11:46
Atualizado
09/11/2021 11:46

Mulheres foram as mais afetadas pelas arboviroses em 2021 no RN

A+   A-  
O dado consta no informe epidemiológico das arboviroses, divulgado nesta terça-feira (9), pela Sesap. Até o dia 23 de outubro, o RN havia registrado 1.089 casos confirmados de dengue e 1 óbito. Com relação à chikungunya e a Zika, foram 1.440 casos positivos da primeira doença e 166 da segunda. Não houve óbitos por chikungunya ou Zika no RN em 2021.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou nesta terça-feira (09), o mais recente informe epidemiológico das arboviroses no Rio Grande do Norte, referente ao período compreendido entre a Semana Epidemiológica 1 até a 42, encerrada em 23 de outubro de 2021.

Segundo o informe, foram notificados 6.088 casos suspeitos de dengue no RN, dos quais 1.089 foram confirmados, 3.611 casos considerados prováveis, 2.477 descartados e 1 caso de óbito confirmado.

Com relação à chikungunya, foram notificados no RN, até a Semana Epidemiológica 42, 5.100 casos suspeitos da doença, sendo confirmados 1.440 casos, 4.241 casos considerados prováveis e 859 descartados e nenhum óbito confirmado.

Já no que diz respeito à Zika, entre a semana epidemiológica 1 a 42 de 2021 no RN foram notificados 758 casos suspeitos da doença, sendo confirmados 166 casos, 370 casos considerados prováveis, 348 descartados e nenhum óbito confirmado.

O informe mostra que a V Região de Saúde é a que apresenta maior incidência de casos prováveis de arboviroses no RN, no que se refere aos três agravos.

Além disso, segundo o informe, considerando os casos prováveis de dengue, Chikungunya e Zika, os indivíduos do sexo feminino apresentou uma maior concentração de casos.

AGENTES DE ENDEMIAS

Em outubro deste ano o Ministério da Saúde, através da Coordenação-Geral de Vigilância de Arboviroses, emitiu nota técnica recomendando o retorno das atividades dos agentes de endemias nos domicílios, seguindo algumas recomendações.

Considerando o cenário epidemiológico nacional da pandemia, a nota recomenda que os agentes possuam esquema vacinal completo contra a Covid-19 e, ao entrar nos domicílios, a adoção das medidas de segurança para a equipe e também moradores: uso de máscaras adequadas, cobrindo nariz e boca, higiene das mãos (lavar com sabão e/ou usar álcool 70%), etiqueta respiratória e uso dos demais equipamentos de proteção individual (EPI) apropriados, além do distanciamento físico mínimo de 1 metro entre os indivíduos.

Antes de entrar na residência, o agente deverá averiguar se algum morador apresenta (ou apresentou nos últimos 14 dias) sintoma compatível com a síndrome gripal.

Caso a resposta seja afirmativa, é importante que o agente oriente o morador a procurar uma unidade de saúde, bem como comunicar as áreas responsáveis sobre a existência de um caso suspeito de Covid-19. Nestes casos, a visita deve ser reagendada para data posterior a 14 dias.

PREVENÇÃO

A Sesap reforça, junto à população, que além da colaboração com os serviços dos agentes de combate às endemias, é preciso continuar com os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor das arboviroses:

• Mantenham os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;

• Esfreguem com bucha as vasilhas ou reservatórios de água de seus animais;

• Não coloquem lixo em terrenos baldios;

• Mantenham as caixas d´água sempre tampadas;

• Observem vasos e pratos de plantas que acumulam água parada;

• Observem locais que possam acumular água parada como: bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso;

• Recebam a visita do agente de endemias, aproveitando a oportunidade para tirar possíveis dúvidas;

• Mantenham em local coberto, pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água.

Acesse aqui o último informe epidemiológico das arboviroses no RN.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário