06 DEZ 2021 | ATUALIZADO 17:36
ESPORTE
11/11/2021 11:56
Atualizado
11/11/2021 17:39

Surfe e poker: potiguares que alcançaram grandes feitos no esporte individual

A+   A-  
O Rio Grande do Norte tem provado ao Brasil nos últimos anos que é um Estado com raízes esportivas. Em modalidades alternativas, o surfista Ítalo Ferreira e o competidor de poker Madson Moura têm enchido o povo de orgulho através de conquistas que pouquíssimos esportistas já alcançaram no esporte de alto nível.
Imagem 1 -
FOTO: CEDIDA

O Rio Grande do Norte tem provado ao Brasil nos últimos anos que é um Estado com raízes esportivas. Em modalidades alternativas, o surfista Ítalo Ferreira e o competidor de poker Madson Moura têm enchido o povo de orgulho através de conquistas que pouquíssimos esportistas já alcançaram no esporte de alto nível.

Ítalo Ferreira

Natural de Baía Formosa e um dos maiores surfistas brasileiros da história, Ítalo Ferreira não para de colecionar grandes resultados no esporte. Desde o início da carreira, quando começou a competir no Circuito Mundial de Surfe em 2015, Ítalo sempre foi apontado pelos especialistas com um atleta de raro talento do surfe nacional.

Logos nos primeiros anos de circuito mundial Ítalo mostrou a que veio, impressionando até mesmo rivais veteranos e campeões do mundo, como por exemplo a lenda norte-americana Kelly Slater — 11 vezes campeão mundial de surfe.

Mas não demorou muito tempo para que Ítalo colocasse seu nome de vez na prateleira mais alta da modalidade. Em 2019, o baía-formosense conseguiu realizar uma temporada irretocável e tornou-se o terceiro brasileiro na história, além de Gabriel Medina e Adriano de Souza, a alcançar o título de campeão mundial de surfe.

Dois anos mais tarde, desta vez nas Olímpiadas de Tóquio, Ítalo esbanjou seu talento novamente para fazer história no esporte internacional. Com apresentações sólidas no mar japonês, o baía-formosense conquistou a primeira medalha de ouro do Brasil no surfe olímpico.


Já no Circuito Mundial de Surfe deste ano, Ítalo brigou até a última etapa, mas não conseguiu repetir o feito de 2019 e terminou com o 3º lugar geral. O grande campeão mundial da temporada 2021 foi o também brasileiro Gabriel Medina, que alcançou o troféu pela terceira vez na carreira.

Madson Moura

Até no início da década passada, pouco se comentava sobre poker no Brasil. No entanto, após um ótimo trabalho de expansão da modalidade realizado pela CBTH (Confederação Brasileira de Texas Hold’em) no país, o poker passou a fazer parte da vida de milhões de brasileiros —segundo a CBTH, hoje o Brasil conta mais de 8 milhões de praticantes nesta modalidade de cartas.

Nos últimos anos, com a popularização gradual do poker em solo brasileiro foram surgindo muitos talentos pelo país, dentro os quais um deles foi o potiguar Madson Moura. Natural da pequena cidade de Umarizal, em 2019 o competidor mostrou seu talento para o mundo ao vencer o evento principal do BSOP Millions, um dos maiores torneios de poker ao vivo da América Latina.

Para se ter uma ideia do feito de Madson, o circuito BSOP (Brazilian Series of Poker) é considerado pela comunidade do poker como o mais competitivo do Hemisfério Sul.

Mas se engana quem acha que Madson teve uma trajetória de vida tranquila até atingir o seu auge no poker, muito pelo contrário. De origem humilde, o competidor só aprendeu a ler e escrever aos 22 anos de idade — e sozinho.

Seu esforço autodidata não só esteve presente em sua alfabetização tardia, mas também no poker. Madson não teve aulas de poker durante a sua formação como competidor da modalidade de cartas, provando a sua alta capacidade de superar as adversidades através de muito empenho e dedicação.

Passada a conquista de 2019, no BSOP, o potiguar seguiu competindo no mais alto nível do poker ao vivo. Em outubro deste ano, Madson superou 130 concorrentes para vencer um torneio Freeroll no concorrido circuito CPP (Circuito Pernambucano de Poker) 2021.

Com o feito, o competidor de Umarizal se consolidou como um dos nomes mais importantes do poker nordestino na atualidade.


A importância do sucesso de Ítalo Ferreira e Madson Moura para o esporte potiguar

O êxito de atletas potiguares no cenário internacional não só ajuda a promover o esporte no Estado nas mais diversas camadas, mas como também tem o poder de incentivar jovens esportistas a tentarem trilhar o mesmo caminho de sucesso seus ídolos no esporte.

Até porque tanto Ítalo quanto Madson percorreram uma trajetória de muitas lutas e superações individuais para chegarem no lugar de destaque que ocupam no esporte, mostrando a todos que desistir no meio do caminho está longe de ser a melhor opção.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário