30 JUN 2022 | ATUALIZADO 18:23
SAÚDE
02/05/2022 16:05
Atualizado
02/05/2022 16:07

Mossoró passa a contar com Unidade de Acolhimento Infantojuvenil para crianças e adolescentes

A+   A-  
A unidade funcionará na rua Pedro Álvares Cabral, ao lado da antiga sede da Central do Cidadão, no bairro Aeroporto, e terá como foco e perfil atender crianças e adolescentes de 10 a 18 anos incompletos, trabalhando com este público que faz uso de álcool, crack e outros tipos de drogas e que esteja numa situação de vulnerabilidade social, precisando de caráter terapêutico e protetivo. O equipamento funcionará 24 horas. O serviço contará com aproximadamente 20 profissionais de diversas áreas que prestarão atendimento aos usuários do sistema.
Imagem 1 -
FOTO: WALMIR ALVES

A Prefeitura de Mossoró, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), abriu nesta segunda-feira (2) a Unidade de Acolhimento Infantojuvenil para crianças e adolescentes no município.

A unidade funcionará na rua Pedro Álvares Cabral, ao lado da antiga sede da Central do Cidadão, no bairro Aeroporto.

A unidade terá como foco e perfil atender crianças e adolescentes de 10 a 18 anos incompletos e trabalhará com este público que faz uso de álcool, crack e outros tipos de drogas e que esteja numa situação de vulnerabilidade social e que precise de caráter terapêutico e protetivo.

De acordo com a coordenadora de Saúde Mental da Secretaria de Saúde do município, Kalyana Fernandes, a porta de entrada da Unidade de Acolhimento Infantojuvenil é o CAPS AD III.

O equipamento funcionará 24 horas. O serviço contará com aproximadamente 20 profissionais de diversas áreas que prestarão atendimento aos usuários do sistema.

“A unidade terá caráter domiciliar e como foco e perfil crianças e adolescentes de 10 a 18 nos incompletos. O CAPS AD III será a porta de entrada da Unidade de Acolhimento. As crianças e adolescentes que têm esse perfil vão para o CAPS e os profissionais do equipamento vão fazer a avaliação e só após esse processo serão encaminhadas aqui para a Unidade de Acolhimento. O pessoal acolhido terá educador físico, que vai fazer as atividades físicas; um psicopedagogo, que dará o suporte educacional durante o período em que ela estiver na unidade de acolhimento; psicólogo e o assistente social, que irão trabalhar questões sociais e emocionais”.

Titular da Secretaria de Saúde de Mossoró, Morgana Dantas ressalta a conquista que é para o município a abertura da Unidade de Acolhimento Infantojuvenil.

A secretária também ressaltou todo o trabalho realizado pela pasta municipal durante esse período para a implementação do serviço para a população mossoroense.

“Depois de um ano de muito trabalho fizemos toda a reestruturação, conseguimos os profissionais adequados para a casa, espaço adequado para atender a crianças e adolescentes. Será um atendimento regulado pelo CAPS AD III e aqui essas crianças e adolescentes encontrarão acolhimento e tratamento adequado para o problema que ele precisar nesse momento. Esse equipamento só mostra todo o interesse que essa gestão tem para dar andamento às necessidades da saúde mental do município de Mossoró”, disse Morgana lembrando que existe uma ação judicial desde 2016 e a necessidade da implementação da casa desde 2012.

“Em 2021, no mês de maio, nós fizemos a mudança do Hospital Psiquiátrico São Camilo de Lellis para o Milton Marques. Dando à população de Mossoró espaço mais acolhedor, mais salubre para o tratamento dele e hoje, um ano depois do hospital psiquiátrico, estamos entregando mais um equipamento à população de Mossoró, a Casa de Acolhimento Infantojuvenil para mais um serviço de saúde mental”, completou.


Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário