19 JUN 2024 | ATUALIZADO 11:58
SAÚDE
11/02/2024 09:14
Atualizado
11/02/2024 09:23

Número de casos de dengue em 2024 já supera 2023 em 80%

A+   A-  
A secretária Lyane Ramalho, da SESAP, criou, neste dia 9 de fevereiro, uma Sala de Situação Estadual das Arboviroses (SEArbo), em Natal-RN, para coordenar as ações de monitoramento e pesquisas de casos de dengue, zika e chikungunya, assim como adotar medidas de enfrentamento a estas doenças, com vigilância epidemiológica, controle vetorial e ofertando o tratamento a população nas redes de saúde do Estado e dos municípios.
Imagem 1 -  A secretária Lyane Ramalho, da SESAP, criou, neste dia 9 de fevereiro, uma Sala de Situação Estadual das Arboviroses (SEArbo), em Natal-RN, para coordenar as ações de monitoramento e pesquisas de casos de dengue, zika e chikungunya, assim como adotar medidas de enfrentamento a estas doenças, com vigilância epidemiológica, controle vetorial e ofertando o tratamento a população nas redes de saúde do Estado e dos municípios.
A secretária Lyane Ramalho, da SESAP, criou, neste dia 9 de fevereiro, uma Sala de Situação Estadual das Arboviroses (SEArbo), em Natal-RN, para coordenar as ações de monitoramento e pesquisas de casos de dengue, zika e chikungunya, assim como adotar medidas de enfrentamento a estas doenças, com vigilância epidemiológica, controle vetorial e ofertando o tratamento a população nas redes de saúde do Estado e dos municípios.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) amplia, a partir desta sexta-feira (8), o monitoramento dos casos de dengue, zika e chikungunya, com a instalação da Sala de Situação Estadual das Arboviroses (SEArbo). O instrumento serve para reunir e coordenar as ações de todas as áreas técnicas da Sesap no enfrentamento ao quadro das doenças, tratando dos eixos da assistência, vigilância epidemiológica, controle vetorial, interface com a sociedade, pesquisa e resposta.

A abertura oficial da SEArbo reuniu coordenadores de vigilância em Saúde do nível central da Sesap e de todas as Regionais, com a presença da Secretária de Estado da Saúde Pública, Lyane Ramalho, que ressaltou a importância dos dados para o controle da doença. “O Rio Grande do Norte ainda não está em momento de epidemia de dengue, por isso queremos contar com todos os gestores para não chegarmos à situação em que se encontram alguns estados do Brasil”.

A secretária lembrou que o aumento de casos já era previsto pelo Ministério da Saúde–MS, que vem realizando reuniões sistemáticas, em especial com estados com previsão de chuvas e temperaturas elevadas. “Desde novembro a Sesap tem orientado ações preventivas nos municípios que tiveram maior incidência de dengue em anos anteriores, ressaltando a importância da educação com agentes comunitários de saúde e agentes de endemias”, disse. 

Segundo o primeiro boletim epidemiológico do estado, que contempla as cinco primeiras semanas do ano, já foram registrados 757 casos prováveis de dengue no RN. O número é mais de 80% superior ao mesmo período observado em 2023, o que acende um alerta nas autoridades sanitárias e reforça a necessidade de instalação da Sala de Situação potiguar.

A coordenadora de vigilância em saúde da Sesap, Diana Rego, apresentou todas as ações realizadas desde a nota de alerta emitida pelo MS em novembro passado. “Vamos entender o cenário do Rio Grande do Norte, fazer o alinhamento das ações e pôr em prática as estratégias”, ressaltou.

Inicialmente, a SEArbo terá reuniões semanais para avaliação de cenário e planejamento de ações estratégicas, com um acompanhamento diário da situação, evolução dos casos notificados e demais aspectos. O grupo também passa a fazer a articulação com gestores municipais e demais órgãos e entidades do poder público, assim como elaborar relatórios técnicos sobre a situação epidemiológica e das ações em curso, além de divulgar à população informações sobre a situação epidemiológica e assistencial no estado.

A medida de instalação do SEArbo segue um plano que vem sendo traçado pela Sesap desde novembro de 2023, quando o Ministério da Saúde emitiu um alerta a respeito da previsão da alta de casos de dengue no país para 2024, o que vem se concretizando. Desde então, a Sesap manteve diálogo constante com os municípios, tendo emitido uma nota técnica de orientação para as ações de enfrentamento, em especial à dengue, além de diversas visitas técnicas nos municípios identificados como os de maior potencial crítico. 


CENTRO DE OPERAÇÕES

Após a instalação da Sala de Situações, o próximo passo é convocar o Centro de Operações de Emergência de Arboviroses (COE). O mecanismo visa reunir entes que atuam além da saúde pública para o enfrentamento da dengue no RN. 

Seguindo o modelo de atuação do COE do Ministério da Saúde, instalado oficialmente no fim de semana passado, a instância local, sob coordenação da Sesap, vai agir no planejamento, organização e controle das medidas de resposta ao quadro da dengue no estado. O objetivo central do COE é expandir, de forma conjunta, as ações para áreas como a infraestrutura, educação, segurança, entre outras, ampliando assim a capacidade de atuação do poder público na proteção à população.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário