24 ABR 2024 | ATUALIZADO 18:39
POLÍCIA
Cezar Alves
19/02/2024 23:23
Atualizado
19/02/2024 23:38

Buscas chegam ao sétimo dia sem sucesso; MJ envia 100 homens da Força Nacional

A+   A-  
Tatu e Martelo, que são do Acre-(AC), fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró na madrugada de quarta-feira, dia 14, deixando a população que mora em dezenas de comunidades rurais entre Mossoró e Baraúna-RN, em Pânico, principalmente porque na grande maioria destas comunidades mais afastadas da RN 015, não existe guarnições de prontidão para proteger estas comunidades. Até os servidores da saúde estão com medo de trabalharem nesta região. Confira os detalhes do sexto dia de caçada promovida por mais de 300 homens da polícia aos dois fugitivos da Penitenciária Federal.
Imagem 1 -  Tatu e Martelo, que são do Acre-(AC), fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró na madrugada de quarta-feira, dia 14, deixando a população que mora em dezenas de comunidades rurais entre Mossoró e Baraúna-RN, em Pânico, principalmente porque na grande maioria destas comunidades mais afastadas da RN 015, não existe guarnições de prontidão para proteger estas comunidades. Até os servidores da saúde estão com medo de trabalhar nesta região.  Confira os detalhes do sexto dia de caçada promovida por mais de 300 homens da polícia aos dois fugitivos da Penitenciária Federal.
Tatu e Martelo, que são do Acre-(AC), fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró na madrugada de quarta-feira, dia 14, deixando a população que mora em dezenas de comunidades rurais entre Mossoró e Baraúna-RN, em Pânico, principalmente porque na grande maioria destas comunidades mais afastadas da RN 015, não existe guarnições de prontidão para proteger estas comunidades. Até os servidores da saúde estão com medo de trabalhar nesta região. Confira os detalhes do sexto dia de caçada promovida por mais de 300 homens da polícia aos dois fugitivos da Penitenciária Federal.
Foto: Cezar Alves

As buscas aos fugitivos chegam ao sétimo dia, nesta terça-feira, 20, sem que mais de 300 policiais tenham recapturado os fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró-RN.

Rogério da Silva Mendonça, o Martelo, de 36 anos; e Deibson Cabral Nascimento, o Tatu, de 34 anos, fugiram na madrugada de quarta-feira, dia 14 de fevereiro de 2024.

Do presídio, teriam saído ao norte, pelo mato, atravessando a RN 015 e caminhado até a comunidade do Rancho da Caça, onde invadiram uma casa e roubaram roupas e comida.

A Polícia, já com os 300 homens, helicópteros, cães e drones, fecharam a região, mas mesmo assim não encontraram os dos fugitivos, num perímetro de 15 km.

Na noite de sexta-feira, 16, Tatu e Martelo, invadiram uma residência na localidade de Riacho Grande, se alimentaram, viram as redes sociais e fugiram com comida e celulares.

No sábado, 17, as Forças de Segurança, passaram a concentrar movimentações na região de Juremal, já no território do Município de Baraúna, cerca de 10 km da penitenciária.

No domingo, 18, surgiu comentários que teriam tentado invadir uma fazenda na localidade de Primavera e foi novamente mobilizado toda a força policial e nada foi localizado.

Nesta segunda-feira, 19, os policiais concentraram as buscas ainda na região do Município de Baraúna. Fizeram incursões nas fazendas e até em território de Quixeré (CE).

A reportagem do MOSSORÓ HOJE, atuando em parceria com O Sobralense, acompanhou toda movimentação do Presídio Federal a divisa com o Ceará.

Medo da população

Da zona rural a oeste da cidade de Mossoró e ao sul de Baraúna, os moradores das comunidades estão pânico, tendo uma invasão dos fugitivos por comida e transporte.

Enfermeiros e médicos trabalham em regiões como Alagoinhas, Jucuri, Juremal, até na Vila Maísa, estão com medo de ir atender os pacientes destas comunidades.

Isto porque, estranhamente, segundo os moradores, não existe policiais de prontidão protegendo estas comunidades de uma possível invasão dos fugitivos Tatu e Martelo.

Já no trecho da RN 015, Mossoró-divisa com o Estado do Ceará, na tarde desta segunda-feira, 19, encontramos seis barreiras policiais revistando todos os veículos

O medo se estende até a divisa com o Estado do Ceará, para onde existem indícios de que os fugitivos estariam se deslocando por dentro da vegetação fechada e fazendas.


Recompensa de 10 mil

Sem informações concretas que possa levar a recaptura dos fugitivos, o Ministério da Justiça deve anunciar recompensa de 10 mil por informações que ajudem na recaptura.

A informação é da CNN, que teria acrescentado, também, que esta possibilidade teria sido levantada em reuniões realizadas nesta segunda-feira, pela cúpula da segurança.

Entretanto, segundo a própria CNN, a Assessoria do Ministério da Justiça não confirmou que foi discutido ou que é possível o Ministério da Justiça oferecer a recompensa.

Reforço da Força Nacional

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, autorizou nesta segunda-feira (19) o uso da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) para apoiar as buscas pelos dois presos que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN).

Conforme o ministério, serão enviados 100 homens e 20 viaturas para o município. Cerca de 500 agentes da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e da polícia local participam da operação de recaptura dos fugitivos, que entra nesta terça no sétimo dia.

O pedido para o uso da Força Nacional foi feito pelo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, com aval da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Entre os policiais, o desanimo

Já é visível o desânimo entre os policiais que estão fazendo as buscas. Todos que tentamos conversar, disseram que não podiam falar nada. Não eram autorizados.

Mais uma vez, procuramos informações nas assessorias e em todas, informaram que nada sabiam e que nada poderiam informar ou esclarecer sobre o trabalho da Força Tarefa.

A falta de informação oficial e ausência de policiais presentes nas comunidades da região, que compreende entre as cidades de Mossoró e Baraúna, leva medo aos moradores.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário