25 JUL 2024 | ATUALIZADO 18:39
POLÍCIA
11/06/2024 17:26
Atualizado
11/06/2024 17:33

Advogado é indiciado pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica em Mossoró

A equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV/Mossoró) cumpriu, nesta terça-feira (11), mandado de busca e apreensão no escritório do advogado, resultando na apreensão de um veículo e uma motocicleta de luxo, além do bloqueio de recursos financeiros na conta do investigado. De acordo com as investigações, ele teria ocultado seu próprio veículo visando receber de forma ilícita a apólice de seguro, causando considerável prejuízo financeiro à seguradora.
Advogado é indiciado pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica em Mossoró. A equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV/Mossoró) cumpriu, nesta terça-feira (11), mandado de busca e apreensão no escritório do advogado, resultando na apreensão de um veículo e uma motocicleta de luxo, além do bloqueio de recursos financeiros na conta do investigado. De acordo com as investigações, ele teria ocultado seu próprio veículo visando receber de forma ilícita a apólice de seguro, causando considerável prejuízo financeiro à seguradora.

Policiais civis da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV/Mossoró) deflagram, nesta terça-feira (11), a “Operação Sinistro”, que resultou no cumprimento de mandado de busca e apreensão em um escritório de advocacia e no bloqueio de bens na conta de um advogado suspeito de estelionato e falsidade ideológica. O fato aconteceu na cidade de Mossoró.

Durante as diligências, os investigadores apreenderam um veículo e uma motocicleta de luxo, além de bloquearem recursos financeiros na conta do investigado.

As investigações revelaram que o advogado teria registrado um boletim de ocorrência afirmando que havia sido vítima de roubo.

No entanto, segundo o delegado Adeângelo Melo, da Deprov, ele teria contratado outras pessoas para ocultar o veículo, que foi levado para a cidade de Patu. A polícia segue à procura do carro.

Ainda segundo o delegado, o objetivo do advogado era receber, de forma ilícita, a apólice de seguro, causando considerável prejuízo financeiro à seguradora.

As investigações deixaram claro que que o roubo não existiu e que de fato se tratava dos crimes de estelionato e falsidade ideológica.

Os bens apreendidos foram colocados à disposição do judiciário e serão utilizados para ressarcir os danos causados à seguradora vítima. Já o advogado foi indicado pelos dois crimes.

A polícia civil não divulgou o nome do investigado, em virtude do Art. 38 da Lei Nº 13.869, de 5 de setembro de 2019, conhecida como Lei de Abuso de Autoridade, que trata da não antecipação da culpa do investigado, antes de concluídas as apurações e formalizada a acusação.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário