13 ABR 2021 | ATUALIZADO 18:12
ESTADO
Da redação
10/06/2016 07:45
Atualizado
12/12/2018 15:41

Emater apura caso da suposta merenda estragada em escola de Campo Grande

A+   A-  
Crianças passaram mal após consumir queijo. Prefeitura informou que alimento foi fornecido pela Emater. Empresa disse que está investigando o caso e que emitirá nota à tarde
Imagem 1 -  Emater apura caso da suposta merenda estragada em escola de Campo Grande
Divulgação/Governo do RN

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (EMATER/RN) informou ao MOSSORÓ HOJE que está apurando o caso da merenda supostamente estragada em escola de Campo Grande, região Oeste potiguar. Na última quarta-feira (08), cerca de 13 crianças passaram mal após consumir um queijo servido na escola no período matutino.

A empresa também informou que à tarde será enviada uma nota de esclarecimento à imprensa.

Leia mais:

Alimentos que fizeram mal a alunos foram fornecidos pela Emater, diz Prefeitura

Crianças passam mal após consumir merenda em escola de Campo Grande/RN

Cerca de 270 crianças consumiram a mesma merenda na quarta-feira (08), na Escola Professor Joaquim Leal Pimenta. Horas depois, cerca de 13 crianças deram entrada no Hospital Pronto-Socorro com mal-estar. Ao saber da notícia a direção disse que ter suspendido o fornecimento da merenda no período da tarde. Foi o que informou o diretor da escola, Francisco Moura.

A suspeita inicial é de que o mal-estar tenha ocorrido por causa do queijo servido na manhã de ontem na escola. No entanto, ainda não há certeza de que o alimento esteja estragado.

Nesta quinta-feira (09), a Prefeitura Municipal de Campo Grande enviu uma nota informando que a comida servida nas escolas da cidade são adquiradas através da Emater por meio do Programa de Compra Direta e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A nota informou também que os alimentos são vistoriados pelo Serviço de Inspeção Municipal. A Prefeitura disse que continuou oferecendo estes alimentos porque eles nunca apresentaram nenhum tipo de problema.

O órgão executivo disse que abrirá um processo administrativo para investigar o caso.

Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário