16 MAI 2022 | ATUALIZADO 18:20
SAÚDE
Da redação
24/04/2015 05:31
Atualizado
12/12/2018 17:08

Eu daria a minha vida por ela , diz acusado de tentar matar namorada com uma pedra

A+   A-  
Gerion Raimundo teria visto a namorada Luzia Alves com outro homem e foi conversar com ela, terminou tentando mata-la com uma pedra; o crime foi evitado pelo pelo pai de Luzia, Raimundo Chagas

O Tribunal do Júri Popular julga nesta sexta-feita,24, o comerciário Gerion Raimundo Diniz, de 31 anos, acusado tentar matar, por motivo fútil, usando uma pedra, sua namorada Luzia Alves Diniz, às 10h30 do dia 13 de abril de 2014, em Mossoró/RN.

O crime foi no bairro Dom Elder Câmara, região Leste da cidade. Na ocasião, o pai de Luzia Alves, Raimundo Chagas de Oliveira, salvou a filha. Ficou com várias lesões pelo corpo. O caso foi investigado pela delegada Cristiana Magalhães, da Delegacia da Mulher, de Mossoró.

O motivo do crime seria a negativa da mulher em querer sair com Giron Raimundo, após este ter visto ela conversando com outro homem. O Ministério Público Estadual narra na peça de acusação que Giron chegou a casa da vítima, chamou para sair, quando ela recusou, ele começou agredi-la.

“Gerion desfere golpes em Luzia, esta cai ao solo, momento no qual Gerion pega uma pedra e arremessa em direção a cabeça dela, que por instinto coloca o braço na frente para se defender, porém isso não foi suficiente, posto que causou lesões no braço e cabeça da vítima”.

Neste momento, Raimundo Chagas, pai de Luzia, avançou sobre Giron para salvar a vida da filha que já estava no chão, lesionada no braço e na cabeça. No entanto, também terminou lesionado. Os dois foram socorridos para o Hospital Regional Tarcísio Maia.

Versão do acusado

Ouvidos na Policia, Gerion disse que namora Luzia Alves há mais de um ano e iniciou a discussão por que viu ela com outro homem. Disse que chegou a casa e ficou conversando com a vítima do lado de fora, quando chegou o pai da mesma e passou a destrata-lo. Disse que num determinado momento Raimundo Chagas tentou agredi-lo com uma ferramenta.

O julgamento

O Tribunal do Júri Popular será presidido nesta sexta-feira, 24, pela juíza Ana Clarissa Arruda Pereira. O Ministério Público Estadual será representado pelo promotor de Justiça Armando Lúcio Ribeiro. A defesa Gilson Monteiro da Costa e Francisco das Chagas Soares de Queiros, com banca em Caraúbas.  O julgamento começou às 8h30 tem previsão de terminar ao meio dia.

Tese de defesa

O advogado de defesa, Gilson Monteiro, vai pedir ao Conselho de Sentença que o réu seja condenado por lesão corporal e não por tentativa de homicídio. Disse que o réu está preso há mais de 1 ano e já deveria está em liberdade, trabalhando.

Tese de acusação

O promotor de Justiça Armando Lúcio Ribeiro vai pedir ao Conselho de Sentença que o réu seja condenado por tentativa de homicídio qualificada, o que o Código Penal prevê pena que varia de 12 a 30 anos de prisão, sendo mais ou menos conforme a gravidade do crime provada em plenário pelo promotor de Justiça.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário