20 JUN 2024 | ATUALIZADO 19:14

COLUNA ESPLANADA

  [COLUNA ESPLANADA] O Governo está preocupado com o pouco estoque de vacinas em geral do Ministério da Saúde. O presidente Lula da Silva chamou a atenção da ministra Nísia que, de imediato, disse que isso não é com ela e sim com Sanderberg, o Berg, protegido de... José Dirceu na pasta. O chefe da Casa Civil, Rui Costa, foi acionado para cuidar do assunto .
[COLUNA ESPLANADA] Governo está preocupado com o pouco estoque de vacinas

19/06/2024 08:34

O Governo está preocupado com o pouco estoque de vacinas em geral do Ministério da Saúde. O presidente Lula da Silva chamou a atenção da ministra Nísia que, de imediato, disse que isso não é com ela e sim com Sanderberg, o Berg, protegido de... José Dirceu na pasta. O chefe da Casa Civil, Rui Costa, foi acionado para cuidar do assunto .

  [COLUNA ESPLANADA] Os veteranos caciques, que controlam grandes partidos há muitos anos, entregam devagar os pontos – mas não a primazia da escolha de nomes para a vitrine eleitoral. A sucessão é inevitável na lista de presidenciáveis. É o que vai acontecer com PT, PSD, PSB, MDB e PL, apurou a Coluna. Eles já preparam novos candidatos para a disputa presidencial de 2030. Alguns têm protagonismo natural dos cargos que hoje ocupam. Fernando Haddad é o escolhido por Lula da Silva para sua sucessão (em 2026 ou 30). E para daqui seis anos, os nomes dos partidos, se nada mudar no planejamento, serão os de João Campos, hoje prefeito do Recife, pelo PSB; Massa Junior (futuro ex-Ratinho) será em quem o PSD vai apostar; o MDB deve levar às pesquisas o governador do Pará, Helder Barbalho, considerado o quadro mais preparado na sigla. O plano secreto de Jair Bolsonaro é o filho senador Flávio, pelo PL, o mais experiente dos irmãos.
[COLUNA ESPLANADA] Partidos preparam novos candidatos para a disputa presidencial de 2030

17/06/2024 08:35

Os veteranos caciques, que controlam grandes partidos há muitos anos, entregam devagar os pontos – mas não a primazia da escolha de nomes para a vitrine eleitoral. A sucessão é inevitável na lista de presidenciáveis. É o que vai acontecer com PT, PSD, PSB, MDB e PL, apurou a Coluna. Eles já preparam novos candidatos para a disputa presidencial de 2030. Alguns têm protagonismo natural dos cargos que hoje ocupam. Fernando Haddad é o escolhido por Lula da Silva para sua sucessão (em 2026 ou 30). E para daqui seis anos, os nomes dos partidos, se nada mudar no planejamento, serão os de João Campos, hoje prefeito do Recife, pelo PSB; Massa Junior (futuro ex-Ratinho) será em quem o PSD vai apostar; o MDB deve levar às pesquisas o governador do Pará, Helder Barbalho, considerado o quadro mais preparado na sigla. O plano secreto de Jair Bolsonaro é o filho senador Flávio, pelo PL, o mais experiente dos irmãos.

  [COLUNA ESPLANADA] A vitória do senador Sergio Moro (União-PR) na ação que julgava sua cassação no TSE deu a ele um novo fôlego para retomar a agenda de combate à corrupção no Senado. À Coluna, comemora o fim das chamadas “saidinhas” de alguns apenados, e prevê novos avanços na pauta contra a violência, embora veja com preocupação a análise do PL na Câmara, proposto pelo PT, que prevê o fim da delação premiada para detentos.
[COLUNA ESPLANADA] PSD deve realizar homenagem nos dez anos da morte de Eduardo Campos

14/06/2024 08:32

A vitória do senador Sergio Moro (União-PR) na ação que julgava sua cassação no TSE deu a ele um novo fôlego para retomar a agenda de combate à corrupção no Senado. À Coluna, comemora o fim das chamadas “saidinhas” de alguns apenados, e prevê novos avanços na pauta contra a violência, embora veja com preocupação a análise do PL na Câmara, proposto pelo PT, que prevê o fim da delação premiada para detentos.

  [COLUNA ESPLANADA] Os palacianos tentam controlar uma crise que pode descerrar a cortina que esconde má convivência entre alguns dos pares. Depois de forçar a exoneração do ex-presidente da Petrobras, embora oficialmente negue, o ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira, mira agora Marina Silva, do Meio Ambiente. A batalha é sobre a exploração de petróleo na Amazônia Equatorial. Um deles deve cair até ano que vem. Marina não quer liberar as licenças para as petroleiras. Silveira, ao lado dos governadores – em especial do Amapá e Pará – cita práticas mais eficientes e sustentáveis na exploração e o bilionário retorno sócio-econômico que os Estados poderão obter. No Governo, o que está decidido é que o mercado fala mais alto, e os Estados precisam do retorno.
[COLUNA ESPLANADA] Ministro de Minas e Energia mira agora Marina Silva, do Meio Ambiente

13/06/2024 09:00

Os palacianos tentam controlar uma crise que pode descerrar a cortina que esconde má convivência entre alguns dos pares. Depois de forçar a exoneração do ex-presidente da Petrobras, embora oficialmente negue, o ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira, mira agora Marina Silva, do Meio Ambiente. A batalha é sobre a exploração de petróleo na Amazônia Equatorial. Um deles deve cair até ano que vem. Marina não quer liberar as licenças para as petroleiras. Silveira, ao lado dos governadores – em especial do Amapá e Pará – cita práticas mais eficientes e sustentáveis na exploração e o bilionário retorno sócio-econômico que os Estados poderão obter. No Governo, o que está decidido é que o mercado fala mais alto, e os Estados precisam do retorno.

  [COLUNA ESPLANADA] A Polícia Federal descobriu que os brasileiros que fugiram para a Argentina, cientes de que seriam alvos do inquérito no STF que está cercando o bando que invadiu os palácios em Brasília no 8 de Janeiro de 2023, planejaram uma defesa conjunta. Foi uma comitiva bem organizada na fuga. Contrataram uma banca de advogados no Brasil e outra em Buenos Aires, e sonham em conseguir asilo político do presidente Javier Milei, um aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro. Não há evidências ainda de que o político brasileiro tenha pedido algo nesse sentido ao chefe da nação argentina, mas há no grupo foragido quem fale em apoio de parlamentares bolsonaristas na demanda. Questionada pela Coluna se já acionou a Polícia Nacional – a sua equivalente hermana – para captura e deportação, a PF não respondeu ainda a reportagem.
[COLUNA ESPLANADA] Foragidos da “Lesa Pátria” tentam asilo político na Argentina

11/06/2024 11:45

A Polícia Federal descobriu que os brasileiros que fugiram para a Argentina, cientes de que seriam alvos do inquérito no STF que está cercando o bando que invadiu os palácios em Brasília no 8 de Janeiro de 2023, planejaram uma defesa conjunta. Foi uma comitiva bem organizada na fuga. Contrataram uma banca de advogados no Brasil e outra em Buenos Aires, e sonham em conseguir asilo político do presidente Javier Milei, um aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro. Não há evidências ainda de que o político brasileiro tenha pedido algo nesse sentido ao chefe da nação argentina, mas há no grupo foragido quem fale em apoio de parlamentares bolsonaristas na demanda. Questionada pela Coluna se já acionou a Polícia Nacional – a sua equivalente hermana – para captura e deportação, a PF não respondeu ainda a reportagem.


Notas

Relativa

Publicidades