23 JUL 2024 | ATUALIZADO 18:32
ESTADO
Da redação
14/01/2017 10:21
Atualizado
13/12/2018 05:00

Advogada diz que a lei não vale um cuscuz e que a "Justiça está de biquine, pegando um bronze"

A+   A-  
Brenda Martins narrou no Face book que foi defender famílias que estava sendo despejadas de suas casas ilegalmente e terminou presa pela polícia e depois se arrependeram de prendê-la
Imagem 1 -  Advogada diz que a lei não vale um cuscuz e que a "Justiça está de biquine, pegando um bronze"
A advogada Brenda Martins foi defender várias famílias (tem procuração de todas) que estava sendo expulsas de suas casas construídas numa área de ocupação, sem ordem judicial, em Natal, e terminou sendo presa e conduzida para a delegacia.
 
Chegando na presença do delegado, os próprios policiais que a prenderam pediram para ela dizer que não tinha sido presa. Talvez este seja o primeiro caso de preso despreso. Despreso com S, pois se for com Z o sentido é outro. Brenda Martins vai representar contra os policiais.
 
A advogada Brenda Martins narrou sua versão no Face book. Disse que a “lei neste país vale menos que um prato de cuscuz e que nestes dias a “justiça está de biquíni, pegando um bronze...” e portando não encontrou guarita para socorrer as famílias.
 
Brenda também publicou vários vídeos e fogos mostrando a ação dos policiais. Para visualizar, basta acessar AQUI.

E o caso deve ser investigado para se ter noção do que realmente aconteceu.


Segue-o na íntegra.
 
Brenda Martins
12 de janeiro às 10:16 ·
Ontem eu fui presa. Por que? Estava cometendo um crime, qual seja, exercício legal da minha profissão. Ontem dia 11 de Janeiro de 2017, fui acordada as 7h da manhã , pelo clamor desesperado de 39 famílias , que estavam sendo despejadas de suas casas, casas estas construídas por elas mesmas , com seu próprio suor .
 
Abestalhada como sou, acreditando em todo aquele blá , blá, que aprendemos na faculdade e em mais anos de especialização. Disse que era impossível tal ato de despejo, já que mandado não existia. Assim sendo, nenhum funcionário do governo seria cínico o suficiente para cometer tal ato de ilegalidade. Nestas casas, existem crianças, idosos, pessoas doentes, gente sem recurso nenhum.
 
Porém, já sabendo que lei neste país Vale menos que um prato de cuscuz, pedi socorro ao Ministério Publico, resposta: O Ministerio Publico tá de férias, tentei o juiz, também estava na praia, a justiça está de biquíni, pegando um bronze, tentei, 3 ou 4 políticos, ahhh não é época de votos, não temos interesse, fui na corregedoria de justiça, não tinha desembargadora , tinha dado uma saidinha, por último tentei o secretário de segurança pública, resposta: " vixi". Esgotados todos os pedidos, enchi o peito de aço, e sem está ganhando ou recebendo 1 centavo por isso, fui até o local do despejo, implorar por piedade, para com as famílias.
 
Assim que cheguei no local, nem deixaram eu descer do meu veículo, fui abordada por um policial militar, que do nada resolveu fazer uma Blitz de trânsito exclusiva para gata aqui.
 
Pediu documentos e habilitação, entreguei, pediu para revistar o carro, deixei, depois que ele viu que não tinha nada de errado, me deu voz de prisão, dizendo que eu estava conduzindo sem cinto de segurança, ele colocou isso no Código Penal, afirmei que aquilo não havia sentindo.
 
Ele saiu com meus documentos voltando 10 minutos depois, afirmando que estava faltando o documento do ano corrente, eu disse, senhor entreguei tudo, se não está o Sr. Deve ter perdido, foi quando recebi a segunda voz de prisão por calúnia, quando olhei o documento do ano corrente, estranhamente estava no banco do carro. Fui conduzida.
 
Mesmo presa, insisti, com os representantes do Governo, Rafael e Andrea, pelo mandado de reintegração, resposta: não tem, não precisa, isso aqui é nosso. Vá discutir isso outro dia, já que naquele momento eu estava presa. Fui conduzida dentro de uma viatura, até uma sede da polícia.
 
Ao chegar, me imploraram pra dizer que eu não fui presa. Como não? Kkkkkkkkkkk passei 4 horas, sem puder ir e vir e não fui presa? Confesso que amei ver a polícia arrependida. Com voz mansa, cabeça baixa. Polícia corrupta, não honra nem a calças que veste, quanto mais a farda. Resultado, acabei representando os policiais.
 
Venho por meio desta, agradecer a todos os colegas advogados que foram lá, me defender e defender nossas prerrogativas . OAB-RN, Abracrim , COmAcrim é demais colegas.
 
Meus mais sinceros agradecimentos. Quanto a você, Governador covarde, o Senhor é uma farsa, a maior já vista neste estado. Sei que o judiciário acovardado do nosso estado é fechado com vossa excelência, como um clube de ricos e meus gritos e clamores, só façam efeitos para mim mesma e de forma negativa com as retaliações de Vossas Excelências. Mas enquanto vida eu tiver, vou gritar pelos direitos dos invisíveis aos seus olhos, ontem a mando do além, mandaram me prender, amanhã seu fascista, só me matando. Está avisado!

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário