21 SET 2019 | ATUALIZADO 13:00
POLÍTICA

Isolda institui o 15 de julho como o dia de combate ao feminicídio

Foi nesta data, que em 2015, cinco mulheres foram executadas a tiros na cidade de Itajá, no Vale do Açu; e o caso está na mais completa impunidade, tendo o único acusado absolvido por falta de provas
08/08/2019 11:36
Atualizado
08/08/2019 12:02
A+   A-  
Imagem 1 -  Isolda Dantas, deputada estadual, preocupada com a impunidade nos casos de feminicídios
Isolda Dantas, deputada estadual, preocupada com a impunidade nos casos de feminicídios

Nesta quarta-feira (07), dia em que a Lei Maria da Penha completou 13 anos, a deputada estadual Isolda Dantas aprovou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei que institui o 15 de julho como dia estadual de combate ao feminicídio.

A data faz referência à chacina na qual 5 mulheres foram brutalmente assassinadas na cidade de Itajá, região oeste do estado.

Veja mais

Júri inocenta acusado de matar cinco mulheres em Itajá

O último quadro apontado pelo Observatório da Violência (OBVIO) mostra que, nos primeiros seis meses de 2019, pelo menos 53 mulheres já foram assassinadas no Rio Grande do Norte. 

A deputada diz que “Previnir e enfrentar a violência contra a mulher se faz cada vez mais urgente no nosso estado e nosso país. É preciso que toda a sociedade se envolva nesta luta. Pra isto propomos a lei. No parlamento, nas ruas e roçados, seguiremos firmes por uma sociedade de igualdade!”, concluiu Isolda.

Notas

Unicursos 2019

Publicidades

Unicursos em Mossoró MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário