29 OUT 2020 | ATUALIZADO 00:19
POLÍCIA
CEZAR ALVES, COM INFORMAÇÕES DO FORA DE CONTROLE
02/09/2019 16:09
Atualizado
02/09/2019 19:50

“Hoje o processo encontra-se arquivado”, diz promotor sobre o caso Valéria

A+   A-  
O promotor de Justiça Armando Lúcio Ribeiro destacou que o caso foi investigado pela Polícia como sendo latrocínio, mas que não foi possível se conseguir provas e, assim sendo, o caso foi arquivado.
Imagem 1 -  “Hoje o processo encontra-se arquivado”, diz promotor sobre o caso Valéria Patrícia, assassinada em setembro de 2016 na região do Baixo Alto do Sumaré, em Mossoró-RN. Promotor conclama a população que forneça informações que leve a Polícia aos culpados pelo assaassinato
“Hoje o processo encontra-se arquivado”, diz promotor sobre o caso Valéria Patrícia, assassinada em setembro de 2016 na região do Baixo Alto do Sumaré, em Mossoró-RN. Promotor conclama a população que forneça informações que leve a Polícia aos culpados pelo assaassinato
FOTO: REPRODUÇÃO/SUPER TV

O Promotor de Justiça Armando Lúcio Ribeiro disse que a sociedade agiu bem em indagar o Ministério Público Estadual sobre o caso de Valéria Patrícia, a jovem estudante de enfermagem que foi brutalmente assassinada no dia 11 de setembro de 2016, no bairro Sumaré. O corpo de valéria foi encontrado no dia 15 do mesmo mês.

Armando Lúcio começou explicando que o caso Valéria foi investigado pela Polícia Civil como latrocínio, ou seja, assalto seguido de morte, e não como homicídio. Disse que sendo assim o caso caiu na 8ª Promotoria e não na sua ou do promotor Ítalo Moreira Martins.

O promotor disse que buscou informações junto a 8ª Promotoria de Justiça de Mossoró e recebeu a informação que o caso havia sido arquivado por falta de provas.


Para reabrir o caso, o promotor de Justiça Armando Lúcio Ribeiro disse que é preciso que exista um fato novo. Ou, o que ele chamou de "nova prova". Sendo esta nova prova indicando que se trata de latrocínio, o processo será reaberto pela 8ª Promotoria.

No caso de surgir uma nova prova que indique que se trata de um caso de homicídio, o promotor Armando Lúcio Ribeiro explicou que o caso será enviado à 1ª Promotoria Criminal de Mossoró, que ele e o promotor Ítalo Moreira Martins estão à frente em Mossoró.

Veja mais:

Delegado afirma que assassinato da jovem Valéria Patrícia será esclarecido em breve

Caso Valéria Patrícia: familiares e amigos clamam por justiça nas redes sociais


Se alguém tiver algum elemento de prova deve procurar a Promotoria de Justiça ou a Polícia para que o caso seja reaberto e esclarecido.

A repórter Adriana Mendes, da Super TV, perguntou ao promotor Armando Lúcio, se o caso Valéria, diante do fato concreto de arquivamento por falta de provas, foi um crime perfeito. O promotor destacou que não. Disse que investigação não logrou êxito por fatores diversos.

Ainda conforme o promotor Armando Lúcio, disse: "agora a gente conclama a população, se alguém tiver algum fato novo, procure a polícia ou até mesmo a gente na promotoria, para agir no sentido de reabrir o processo. Somente se desarquiva se houver um fato novo", disse. 

"Hoje o processo encontra-se arquivado", concluiu o promotor sobre o caso Valéria

Veja mais:
Marido e pai de Valéria Patrícia vão a delegacia e gravam vídeo pedindo ajuda para localiza-la

 'Ela estava com o pescoço quebrado', diz perito do ITEP que removeu o corpo de Valéria Patrícia

Exame de raio X aponta que estudante Valéria Patrícia foi morta com tiro na cabeça




Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário