07 DEZ 2019 | ATUALIZADO 13:29
ECONOMIA

Transferências de empregados da Petrobrás poderá causar crise no RN

O Governador em exercício, Antenor Roberto, se reuniu com a diretoria do SINDIPETRO-RN para debater a situação desses trabalhadores. De acordo com o sindicato, a retração de investimentos da Petrobras nas atividades de exploração e produção, nos últimos anos, já provocou a perda de mais de uma dezena de milhares de empregos diretos e indiretos no RN.
18/11/2019 18:37
Atualizado
18/11/2019 18:39
A+   A-  
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

Com o intuito de debater a situação dos empregados da Petrobras no Rio Grande do Norte, o governador em exercício, Antenor Roberto, reuniu-se, na manhã desta segunda-feira (18), com o representante da Associação dos Engenheiros da Petrobras – AEPET, João Rocha, e com integrantes da Diretoria do SINDIPETRO-RN.

O encontro atendeu a um apelo feito pela procuradora do Trabalho, Ileana Neiva, e pela deputada federal Natália Bonavides, que também participaram da agenda.

Veja mais:

Sindicato aciona o MPT para evitar a saída da Petrobras do RN


O RN é o maior produtor de petróleo em terra do país e o Governo do RN tem reunido esforços para manter e ampliar a permanência das atividades da Petrobras no Estado.

A governadora Fátima Bezerra se reuniu no primeiro semestre com o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, e tem ido em busca de uma nova audiência para tratar da importância da empresa para o Estado.

A governadora pretende levar representantes da bancada federal, classes trabalhadora e empresarial e entidades da sociedade civil para participarem da audiência.

No último dia 28 de outubro, o SINDIPETRO-RN apresentou denúncia ao Ministério Público do Trabalho (MPT-RN) para tentar barrar transferências compulsórias de empregados impostas pela Petrobras.

Devido ao novo plano estratégico, recentemente divulgado pela empresa, com foco no desenvolvimento de atividades na região Sudeste, tem-se a iminência do encerramento das atividades da companhia aqui no RN e em outros estados do Nordeste.

Veja mais:

Senado convoca presidente da Petrobras para explicar saída do NE


Diante deste impasse, o Ministério Público do Trabalho, por meio da procuradora Ileana Neiva, quer apurar se as transferências estão dentro do poder diretivo da empresa ou se ele está sendo extrapolado.

Considerando os aspectos políticos e as repercussões para a sociedade norte-rio-grandense, a deputada federal Natália Bonavides deverá levar a discussão do tema para a Câmara dos Deputados.

De acordo com o SINDIPETRO-RN, a retração de investimentos da Petrobras nas atividades de exploração e produção, nos últimos anos, já provocou a perda de mais de uma dezena de milhares de empregos diretos e indiretos no RN.

Além do impacto na cadeia produtiva de óleo e gás, outros segmentos, como os da hotelaria, alimentação e transporte, foram e estão sendo duramente afetados.


Notas

Ambiental do Brasil

Publicidades

Bolsas 100% MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário