07 JUL 2020 | ATUALIZADO 08:45
ESPORTE
14/04/2020 09:26
Atualizado
14/04/2020 09:36

MMA, futebol, surfe e poker: atletas potiguares que se destacam no Brasil e no exterior

A+   A-  
Com histórias de vida até certo ponto parecidas, com muita superação e perseverança para vencer no esporte e na vida, destacamos quatro nomes potiguares das modalidades mencionadas acima que têm grande destaque no esporte.
Imagem 1 -  Natural de Baía Formosa e atual campeão mundial de surfe, o potiguar Ítalo Ferreira é um dos atletas brasileiros em maior evidência no esporte internacional atualmente. A vitória de Ítalo sobre o compatriota Gabriel Medina na final da etapa de Pipeline, no Havaí, deu o título mundial inédito para o baía-formosense em dezembro do ano passado.
Natural de Baía Formosa e atual campeão mundial de surfe, o potiguar Ítalo Ferreira é um dos atletas brasileiros em maior evidência no esporte internacional atualmente. A vitória de Ítalo sobre o compatriota Gabriel Medina na final da etapa de Pipeline, no Havaí, deu o título mundial inédito para o baía-formosense em dezembro do ano passado.

No Nordeste, o Rio Grande do Norte é um dos Estados que mais revelou atletas de alto nível para o esporte nos últimos anos. Para além do futebol, há muitos atletas potiguares se destacando em modalidades como MMA, surfe e o poker. 

Com histórias de vida até certo ponto parecidas, com muita superação e perseverança para vencer no esporte e na vida, destacamos quatro nomes potiguares das modalidades mencionadas acima que têm grande destaque no esporte.

Phillipe Lins (MMA)

Celeiro de grandes lutadores e lutadoras nas artes marciais mistas, como Renan Barão, Cláudia Gadelha, Beth Correia, Ronny Markes, Gleison Tibau e Jussier Formiga, o Rio Grande do Norte é uma referência no país quando o assunto é MMA.

Em março deste ano, mais um lutador potiguar assinou contrato com o Ultimate Fight Championship (UFC), principal organização de MMA do mundo. Trata-se do natalense Phillipe Lins, conhecido no mundo das lutas como “Monstro”.

Phillipe Monstro tem um currículo vencedor e atualmente é um dos lutadores brasileiros mais respeitados no exterior. Ele foi campeão da Professional Fighters League (PFL) em 2018 e também lutou no Bellator, entre 2014 e 2017.

“Phillipe Lins (foto) está no auge da carreira”

É válido destacar que Phillipe Monstro assinou com o UFC aos 39 anos, algo que não é muito comum na modalidade. Por outro lado, premia o esforço de uma carreira marcada por muita dedicação e perseverança.

Em seu perfil no Instagram, o lutador agradeceu às pessoas que o ajudaram na sua trajetória no MMA e também não deixou de mencionar o PFL por ter dado a ele a oportunidade de transformar a sua vida.

Madson Moura (poker)

Nascido em Umarizal e cidadão de Mossoró desde os 12 anos de idade, Madson Moura é dono de uma trajetória vitoriosa no poker e na vida. O umarizalense não sabia ler e escrever até os 22 anos de idade e, graças à sua vontade de estudar afinco o esporte das cartas e alcançar voos maiores, saiu do analfabetismo para se especializar na modalidade texas holdem — o que mudou a sua vida para sempre.

Em dezembro do ano passado, viu seu esforço recompensado ao vencer o BSOP Millions, principal etapa do Campeonato Brasileiro de Poker. “Urea”, como Madson também é conhecido nas mesas de poker, superou mais de três mil jogadores inscritos no torneio para alcançar o lugar mais alto do pódio.

“Quando eu me dediquei, vi que o poker não era sorte, tinha que ter estudo, mas eu era analfabeto. Então procurei estudar e aprender as letras para poder estudar a poker”, disse Madson, em entrevista para o site especializado SuperPoker.

Primeiro potiguar a vencer um torneio ao vivo de tamanha expressão no cenário nacional, a conquista de Madson serve de inspiração para vários jogadores do Nordeste, que hoje é considerado um dos principais centros de poker do Brasil.

Ítalo Ferreira (surfe)

Natural de Baía Formosa e atual campeão mundial de surfe, o potiguar Ítalo Ferreira é um dos atletas brasileiros em maior evidência no esporte internacional atualmente. A vitória de Ítalo sobre o compatriota Gabriel Medina na final da etapa de Pipeline, no Havaí, deu o título mundial inédito para o baía-formosense em dezembro do ano passado.

A conquista de Ítalo foi o quarto título mundial na história do surfe brasileiro. Adriano de Souza alcançou o feito em 2015 e Medina foi campeão em 2014 e 2018.

“Ítalo Ferreira (foto) em uma etapa na África do Sul”

Quando começou a surfar, o atual campeão do mundo não tinha condições financeiras de comprar uma prancha e pegava emprestado uma das ferramentas de trabalho do seu pai, que era pescador. Ítalo utilizava parte do isopor onde gelava os peixes para dar suas primeiras braçadas no mar de Baía Formosa.

Mesmo sem grande aporte financeiro para pagar as viagens e inscrições em torneios, Ítalo nunca desistiu do sonho de se tornar um surfista profissional. Em 2015, quando estreou no Circuito Mundial de Surfe, o baía-formosense a mostrou a que veio ao faturar o prêmio de melhor surfista estreante naquela temporada.

O ano de estreia de Ítalo no circuito mundial chamou a atenção de craques do surfe mundial, que não conheciam muito bem o brasileiro até então. Kelly Slater, undecacampeão mundial de surfe, chegou a ficar impressionado com o talento baía-formosense na época.

Com apenas 25 anos idade e com muita vontade de seguir fazendo história, Ítalo ainda tem muitos anos de surfe profissional para, quem sabe, ultrapassar Medina e se tornar o brasileiro com maior número de títulos de mundiais no surfe.

Márcio Mossoró (futebol)

Marcio Mossoró é um dos jogadores de futebol de maior sucesso no esporte potiguar. O mossoroense ficou conhecido no cenário nacional por ser um dos protagonistas do Paulista na conquista da Copa do Brasil de 2005.

Entre 2002 e 2005, período que defendeu as cores do Paulista, Mossoró chamou a atenção de grandes clubes brasileiros e foi contratado pelo Internacional, um dos maiores clubes da América.

No Internacional, Mossoró fez história e ajudou a equipe gaúcha a vencer Copa Libertadores da América de 2016. Após defender o Internacional até 2007, o jogador foi para Portugal realizar o sonho de jogar no futebol europeu.

No Braga, Mossoró destacou e foi um dos melhores jogadores no período em que defendeu o clube português. Na temporada 2012-2013, o brasileiro foi peça importante do clube bracarense na conquista da Taça da Liga Portuguesa.

O ciclo de Mossoró no futebol português durou até 2013, quando ele foi vendido para o Al-Ahli, da Arábia Saudita. Porém, a passagem dele no time árabe durou apenas 24 partidas — ele não se adaptou no país.

Sem conseguir se destacar no clube árabe, Mossoró foi vendido para o Istambul, da Turquia, em 2014. No clube turco, Mossoró atuou por cinco anos e ajudou a elevar o patamar do Istambul na liga local.

Mossoró ajudou a classificar o clube para a Liga da Europa pela primeira vez na história. Além disso, o Istambul ficou entre os primeiros colocados em três oportunidades nas últimas temporadas.

Em entrevista para o site da ESPN Brasil, Mossoró destacou os feitos recentes do Istambul: “Chegamos às finais da Copa da Turquia, disputamos a Liga Europa, algo que o clube nunca imaginou lá atrás. Chegamos aos playoffs da Champions League e quase fomos para a fase de grupos.”

Apesar de uma passagem brilhante pelo Istambul, o fim do ciclo de Mossoró no clube turco chegou ao fim em meados de 2019. Prestes a completar 37 anos, o mossoroense aceitou uma oferta de dois anos de contrato para atuar no Goztepe, também da primeira divisão da Turquia.

Mossoró é um dos principais jogadores do novo clube, que tem a pretensão de alcançar vaga em competições europeias nas próximas temporadas.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário