07 JUL 2020 | ATUALIZADO 18:27
ESPORTE
14/04/2020 09:44
Atualizado
14/04/2020 09:52

Conheça a trajetória de Madson Moura, potiguar que saiu do analfabetismo para brilhar no esporte

A+   A-  
Madson Moura. Apelidado de “Urea”, o profissional representa a cidade de Mossoró e tem uma trajetória especial de superação.
Imagem 1 -  Em dezembro do ano passado, Madson conseguiu um feito impressionante ao vencer a última etapa do Campeonato Brasileiro de Poker — alcunhada de “BSOP Millions”.
Em dezembro do ano passado, Madson conseguiu um feito impressionante ao vencer a última etapa do Campeonato Brasileiro de Poker — alcunhada de “BSOP Millions”.

O Nordeste é considerado um celeiro de craques do poker brasileiro. Nomes conhecidos no ramo como Ariel Celestino (Bahia), Bruno Foster (Ceará) e Rogério Siqueira (Alagoas) geralmente figuram no topo das principais competições do país.

Recentemente, a região ganhou mais um grande nome no poker nacional: Madson Moura. Apelidado de “Urea”, o profissional representa a cidade de Mossoró e tem uma trajetória especial de superação.

Em dezembro do ano passado, Madson conseguiu um feito impressionante ao vencer a última etapa do Campeonato Brasileiro de Poker — alcunhada de “BSOP Millions”.

Na etapa realizada em São Paulo, Madson emocionou a todos com um título inesquecível que marcou a maior conquista de sua então curta carreira nas cartas. Na trajetória rumo ao feito, ele superou mais de três mil competidores.

Para se ter uma ideia do feito impressionante de Madson, a etapa final do Campeonato Brasileiro é a mais especial da temporada e também é a mais visada entre os competidores profissionais. Todos os anos os melhores profissionais do país se reúnem para essa disputa na capital paulista.

“Esse título foi para a minha mãe, Maricruz. E foi o que a senhora mais queria: que eu estudasse. E, depois de velho, eu tive de estudar para aprender a jogar poker e chegar até aqui”, contou o potiguar em entrevista ao Globo Esporte. Após o título na etapa mais importante do campeonato, a nova estrela do poker nordestino conseguiu terminar a temporada entre os 50 primeiros do ranking geral — além de ter sido o melhor potiguar colocado.

Antes da conquista no BSOP Millions, a melhor colocação de Madson em um torneio do Campeonato Brasileiro havia sido em 2017, quando na ocasião terminou com a 54ª posição de um evento em São Paulo que contou com a participação de 2.807 competidores.

Atualmente com 27 anos, Madson tem uma história de vida especial e uma ascensão na modalidade espetacular pelo fato de que ele conhece esse esporte há apenas uma década.

Natural de Umarizal, o atual campeão do maior torneio de poker da América Latina era analfabeto até aos 22 anos. Para evoluir no poker, Madson superou as dificuldades da vida e aprendeu a ler e a escrever.

“Inicialmente, adquiri os livros para estudo, mas era minha mulher que realizava a leitura para mim. Só que eu percebi que precisava aprender a ler de qualquer maneira e aproveitei a chance”, contou. Após aprender a ler, Madson intensificou os estudos e passou a dominar a cena do poker potiguar. Com os prêmios e a carreira em ascensão, ele começou a ter a condição de viajar para as principais cidades do país em busca de competições de cunho nacional.

Photo by Luis Bertozini

Sua estreia nos rankings de premiação do Campeonato Brasileiro aconteceu em 2016, em uma etapa disputada em Natal. Desde então, ele participou de também vários outros circuitos relevantes, como também o Nordeste Poker Series.

Para competir profissionalmente, além de São Paulo e Natal ele já viajou para metrópoles como Fortaleza, João Pessoa, Brasília, Recife e várias outras.

Vivendo a melhor fase da carreira, Madson já começou a nova temporada de maneira espetacular. Em etapa realizada na capital Brasília, o potiguar disputou o evento principal da competição contra outros 757 adversários e terminou na sexta colocação.

Com o feito em Brasília, ele se tornou um dos poucos nomes na história do Campeonato Brasileiro (existe desde 2006) a terminar duas etapas seguidas entre os oito primeiros colocados. “A galera está respeitando mais o meu jogo (após o título em São Paulo). Agora eles sabem quem é o ‘Urea’. Muita gente elogiando o meu estilo e eu só tenho a agradecer. Tem muita coisa boa por vir”, completou.

Ganhando experiência gradativamente, Madson já provou que consegue figurar entre os melhores do Brasil e iniciou o ano mostrando que tem a consistência necessária para brigar pelo título do ranking de pontos do Campeonato Brasileiro.

Com uma história bonita de superação e garra, ele já cravou o seu nome na história do poker nordestino e tem potencial para no futuro representar o Brasil em grande estilo nas principais competições mundo afora.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário