28 SET 2020 | ATUALIZADO 18:25
SAÚDE
23/08/2020 16:33
Atualizado
23/08/2020 16:47

A história emocionante do menino que não conhece o sabor dos alimentos

A+   A-  
A mãe do pequene Pietro, Aliane Virgulino, em mais uma ida aos hospitais com o filho nos braços, escreve texto desabafo, com um pedido de ajuda, com fé, para que a medicina cure logo o filho. "Meu filho é um grande guerreiro. Passou por tudo isso, mais nunca deixou de sorrir de brincar..."
Imagem 1 -  A mãe do pequene Pietro, Aliane Virgulino, em mais uma ida aos hospitais com o filho nos braços, escreve texto desabafo, com um pedido de ajuda, com fé, para que a medicina cure logo o filho.  "Meu filho é um grande guerreiro. Passou por tudo isso, mais nunca deixou de sorrir de brincar..."
A mãe do pequene Pietro, Aliane Virgulino, em mais uma ida aos hospitais com o filho nos braços, escreve texto desabafo, com um pedido de ajuda, com fé, para que a medicina cure logo o filho. "Meu filho é um grande guerreiro. Passou por tudo isso, mais nunca deixou de sorrir de brincar..."

O relato abaixo, de cortar coração, é de Aliane Virgulino, residente no bairro Três Viténs, em Mossoró-RN. Narra a trajetória de 2 anos e 7 meses do filho que não consegue se alimentar pela boca. É por sonda. Pietro Virgulino dos Santos, não conhece o sabor dos alimentos.

Aliane e o marido Pedrosa (ex jogador de futebol) narram que fazem orações todos os dias para que a medicina defina o diagnóstico da doença do filho, que o impede de se alimentar pelas vias normais. Sempre que tenta, se engasga.

Aliane e marido acreditam que uma vez diagnosticada a doença, uma cura, sendo cirúrgica ou por meios farmacológicos, será possível. Tem fé. O texto emocionante abaixo foi escrito por Aliane, em mais uma ida, entre muitas, ao hospital.

É um desabafo, um pedido de ajuda, uma demonstração fé...


 Segue-o

Aliane Virgulino

Como estou em mais uma noite no hospital?

Mais uma noite de 15 dias em um hospital com meu pequeno internado. 15 dias de internação de umas das várias internações. Várias internações? Sim várias, pois a 3 anos e 4 meses descobrir que estava grávida, uma gestação desejada e sonhada entre minha família (filho Netinho, esposo Pedrosa) foram 9 meses sonhando com a chegada do Pietro dia 29/12/2017 o grande dia o nascimento do nosso novo amor.

Felicidade imensa de todos lindo e aparentemente saudável.

Em fim em casa chegou a virada do ano, primeiro dia do novo ano e o segundo nesse dia uma mamada normal ou melhor parecia normal um engasgo do pequeno. Ficamos aflitos! E passou. A partir desse dia, que começou a luta e persistência para viver do meu pequeno.

Foram vários engasgos, várias consultas e nada. Em um reteste de linguinha, a UTI, pneumonia aspirativa. Uti, pneumonia aspirativa? Sim algo desconhecido e assustador. Dias longos. Médicos sem saber o pq....

Aí veio a primeira sonda para se alimentar. Como assim sonda não posso amamentar? Algo desesperador sem entender, sem saber de nada, tudo novo, pesadelo, desespero.....

Assim foi um começo de muitas consultas, muitos exames, muitas viagens, pois um bebe que não sabe beber água, comer como assim? Esse é meu filho Pietro Virgulino dos Santos, hoje com 2 anos e sete meses de lula. Ele anda, fala, corre como qualquer outra criança na sua idades, mais não consegue se alimentar oralmente, se alimenta por sonda com um currículo de mais de 15 pneumonias aspirativa sem diagnóstico.

Sem diagnóstico, me pergunto, como tratar, o que fazer?

Não sei, só sei que todos os dias oro para o senhor que chegue nesse diagnóstico, pois meu filho é um grande guerreiro. Passou por tudo isso, mais nunca deixou de sorrir de brincar....

Mim dar força senhor, para lutar e vencer.....

Creio que em breve vou ter o prazer de ir ao supermercado e comprar alimentos para meu filho descobrir o prazer dos sabores e da alimentação.

Pela honra e glória do senhor!

Um desabafo de uma mãe com o coração apertado, mais cheio de esperança que a Vitória tá chegando...

O motivo

A razão pela qual o MOSSORÓ HOJE está contando esta história, com o texto da mãe Aliane Virgulino, é uma busca por uma luz para que se alguém que trabalha na área de saúde, casso saiba como diagnosticar e resolver este caso, entre em contato com os pais de Pietro, no caso Aliane e Pedrosa Virgulino, em Mossoró-RN.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário