28 SET 2020 | ATUALIZADO 18:25
EDUCAÇÃO
09/09/2020 15:07
Atualizado
09/09/2020 15:12

Pró-reitora da Ufersa diz que não houve denúncia formal sobre possível plágio em tese de doutorado

A+   A-  
A Professora Débora Façanha, pró-reitora de pesquisa e pós-graduação, disse que a universidade não pode se manifestar sobre o suposto plágio na tese de doutorado do reitor pro tempore do IFRN, Josué Moreira, por não haver denúncia formal. Explicou que, para que seja aberto um procedimento para averiguar a veracidade da denúncia, é necessário que ela seja feita por meio de canais oficiais, como a ouvidoria.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

A reportagem do MOSSORÓ HOJE conversou, nesta quarta-feira (9) com a Pró-reitora de pesquisa e pós-graduação da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), a Professora Débora Façanha, sobre a denúncia de plágio na tese de Doutorado do reitor pro tempore do IFRN Josué de Oliveira Moreira.

A tese foi defendida na Universidade em 12 de novembro de 2018 e, de acordo com a denúncia recebida pelo MOSSORÓ HOJE, teria, pelo menos, 23 páginas retiradas de outros trabalhos acadêmicos sem as devidas referências.

Veja mais:

Reitor pro tempore do IFRN plagiou tese de doutorado que cursou na UFERSA?


A Professora Débora Façanha explicou que a Ufersa não pode se manifestar sobre o assunto porque a denúncia ainda não chegou até a instituição de maneira oficial.

“Nós ficamos sabendo sobre essa suspeita, mas apenas através do que saiu na mídia. Essa denúncia ainda não foi feita em nenhum canal oficial da universidade, como a ouvidoria”, explica.

A Pró-reitora disse que a instituição leva muito a sério esse tipo de denúncia, desde que ela seja formalizada, para que seja possível abrir um procedimento e, assim, averiguar a veracidade dos fatos.

Explicou, inclusive, que já houve outra denúncia neste sentido, em outro momento e com outro trabalho, mas que chegou ao conhecimento da Ufersa por meio da ouvidoria.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário