30 SET 2020 | ATUALIZADO 18:42
VARIEDADES
13/09/2020 09:04
Atualizado
14/09/2020 08:55

Dona de casa vende rifa e detergente para pagar exames do filho em Fortaleza-CE

A+   A-  
Reportagem do G1RN informa que a população pode ajudar a dona de casa Saonora Bezerra a levar o filho Yan, de 11 anos, e que têm 5 tumores no cérebro, para fazer uma bateria de exames no Sarah Kubitschek, em Fortaleza-CE, através do número 84 99623 7380.
Imagem 1 -  Dona de casa vende rifa e detergente para pagar exames do filho em Fortaleza-CE.Reportagem do G1RN informa que a população pode ajudar a dona de casa Saonora Bezerra a levar o filho Yan, de 11 anos, e que têm 5 tumores no cérebro, para fazer uma bateria de exames no Sarah Kubitschek, em Fortaleza-CE, através do número 84 99623 7380.
Dona de casa vende rifa e detergente para pagar exames do filho em Fortaleza-CE.Reportagem do G1RN informa que a população pode ajudar a dona de casa Saonora Bezerra a levar o filho Yan, de 11 anos, e que têm 5 tumores no cérebro, para fazer uma bateria de exames no Sarah Kubitschek, em Fortaleza-CE, através do número 84 99623 7380.
Foto Anna Alyne Cunha/InterTV Cabugi

A incrível história do menino de 11 anos, residente em Natal-RN, que tem 5 tumores na cabeça, e da batalha heroica da mãe dele, vendendo rifas e detergentes para levar o filho para fazer bateria de exames no Hospital Sarah Kubitschek, em Fortaleza (CE). 

A notícia é do G1/InterTV Cabugi.

A história de Jonathan Yan Bezerra Marinho e de sua mãe batalhadora Saonara Bezerra comoveu a todos, que começaram a ajudar através do telefone 84 99623 7380. Toda ajuda possível para esta mãe é pouco, diante do que ela precisa para cuidar do filho Yan.

A reportagem do G1 conta que Yan tem autismo, retardo mental, naurofibromatose – doença que provoca a formação de tumores no cérebro, na medula espinhal e nos nervos -, além de epilepsia causada pelos nódulos na cabeça. Sofre convulsões com frequência.

Saonara Bezerra relata que “para uma mãe é angustiante. É desesperador porque você vê só aumentado crises, aumentando as dores que ele sente, pedindo para sair, pedindo para brincar e tem hora que ele não pode. É desesperador”, diz emocionada Saonara Bezerra.

O que poderia amenizar, seria uma bateria de exames completo que pudesse apontar um diagnóstico mais preciso e que permitisse um tratamento adequado. Estes exames não têm onde serem feitos em Natal. Existem na rede Sarah, que tem unidade em Fortaleza.

Há pouco tempo, a família conseguiu se inscrever e ser selecionado pelo Sarah Kubitschek de Fortaleza para fazer esta bateria de exames, mas aí veio a falta de recursos. A mãe está desempregada e já sofre muito para conseguir R$ 450,00 só para medicação do filho.

Para ir para Fortaleza, a mãe revelou a reportagem do G1 que “eu estou fazendo rifa, vendendo detergente, pedindo...o que aparecer eu faço”, diz. Ela critica que o sistema municipal de saúde de Natal é lento. Lembra que espera um geneticista há um ano.

Com ajuda que está recebendo, em função da reportagem, Saonora e Yan vão puder ir fazer a bateria de exames no Sarah, em Fortalza. Ela espera que o filho tenha mais qualidade de vida. “Poder comer, poder brincar. Ele se alimentar melhor e não sentir tantas dores como sente. Pode tirar um pouco da dor que ele tem, um pouco do que ele passa e eu não posso fazer nada”, lamenta Saonara Bezerra a equipe de reportagem do G1.

Prefeitura de Natal

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal informou na matéria que tem atendimento de geneticista regularmente. Sem filas. Sobre Yan, a reportagem disse que foi agendado uma consulta para a próxima terça-feira, dia 15. Eles reconhecem que realmente o tratamento mais adequado para Yan é em outro estado.

Governo do Estado.

A SESAP, por sua vez, informa que autorizou a realização de exames de ressonância para o dia 28 próximo. Diz que vai fazer contato com a mãe para entregar a autorização para este exame.

Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário