30 NOV 2020 | ATUALIZADO 07:33
SAÚDE
19/10/2020 14:38
Atualizado
19/10/2020 14:39

Outubro Rosa: mastologista esclarece dúvidas sobre câncer de mama

A+   A-  
O objetivo é essencial: conscientizar e alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

O Outubro Rosa pode está em seus últimos dias, mas a campanha deve continuar durante todo o ano. O objetivo é essencial: conscientizar e alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.

Para esclarecer as dúvidas sobre o assunto, o mastologista do Hapvida Saúde, Dr Francisco Figueiredo, respondeu algumas perguntas.

Quais os principais métodos de diagnóstico do câncer de mama?

Cerca de 80% dos nódulos de mama são descobertos pelas pacientes que, na maioria das vezes, ficam muito ansiosas. Como especialistas fazemos o diagnóstico com o exame físico, perguntamos se há casos de parentes na família da paciente, principalmente, de primeiro grau. Usamos exames complementares como a ultrassonografia, mamografia a partir dos 40 anos e ressonância magnética em casos mais detalhados.

Qual a diferença entre mamografia e ultrassonografia e quando esses exames podem ser indicados?

A mamografia usa raio-x de alta frequência que tem poder de se inserir em nosso organismo, usada para o rastreamento do câncer de mama, através desse exame conseguimos verificar lesões pequenas. Já o ultrassom utiliza ondas de alta frequência para verificar as estruturas internas no nosso corpo e diagnosticar cisto, abscesso e diferenciação entre nódulos malignos e benignos.

Há uma idade recomendada para a realização do autoexame?

A mulher pode fazer em qualquer idade. Mas, de maneira geral, é recomendado fazer a partir dos 20 anos. Lembrando que a melhor época de realizar o exame seria em 7 dias após o começo do período menstrual.

No geral, qual percentual médio de cura para a doença? O diagnóstico precoce pode aumenta as chances?

Em muitos casos, a cura é de 100%. Mas, tudo depende de fatores prognósticos e da resistência imunológica da paciente. Por isso, quanto mais rápido o diagnóstico precoce, maior é a sobrevida.

Tendo histórico de câncer de mama na família. Isso pode influenciar na saúde da paciente ? Quais precauções podem ser tomadas?

Sim, é importante sabermos se existe câncer de mama na família. É fundamental identificar também em que idade esse parente, principalmente, se for de primeiro grau, teve o câncer de mama. Se for uma mulher na pré-menopausa ela tem o risco maior de hereditariedade. Já na menopausa o risco diminui.

Procuramos saber também se existem homens que tiveram a doença. Nós, geralmente, recomendamos fazer a mamografia 10 anos antes do habitual. Por exemplo: uma mulher teve um câncer de mama aos 40 anos, então a sua filha, deve fazer a mamografia aos 30 anos. Quando existem muitos casos na família, fazemos uma avaliação em formato de painel genético.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário