30 NOV 2020 | ATUALIZADO 07:33
POLÍCIA
COM INFORMAÇÕES DE CEZAR ALVES
18/11/2020 19:00
Atualizado
18/11/2020 22:30

Carro cheio de documentos públicos da Prefeitura de Mossoró é apreendido

A+   A-  
Servidora pública estava de posse de dezenas de pastas de documentos públicos em atitude suspeita num Prisma prata e foram conduzidas até a Delegacia de Plantão; O veículo foi visto deixando o Palácio da Resistência, nesta quarta-feira (18), e a PM foi acionada. O destino era uma residência na Ilha de Santa Luzia. Na delegacia, o delegado analisou e concluiu que os documentos eram antigos
Imagem 1 -  Servidora pública estava de posse de dezenas de pastas de documentos públicos em atitude suspeita num Prisma prata e foram conduzidas até a Delegacia de Plantão; O veículo foi visto deixando o Palácio da Resistência, nesta quarta-feira (18), e a PM foi acionada. O destino era uma residência na Ilha de Santa Luzia. Na delegacia, o delegado analisou e concluiu que os documentos eram antigos
Servidora pública estava de posse de dezenas de pastas de documentos públicos em atitude suspeita num Prisma prata e foram conduzidas até a Delegacia de Plantão; O veículo foi visto deixando o Palácio da Resistência, nesta quarta-feira (18), e a PM foi acionada. O destino era uma residência na Ilha de Santa Luzia. Na delegacia, o delegado analisou e concluiu que os documentos eram antigos
FOTO: CEZAR ALVES

A Polícia Militar de Mossoró apreendeu, na noite desta quarta-feira (18) um veículo tipo Prisma, de cor prata, com dezenas de pastas de documentos públicos do município de Mossoró. Na Delegacia de Plantão, o delegado ouviu as partes, analisou os documentos e concluiu que eram documentos antigos e portanto, não havia ocorrido crime algum. 

O veículo dirigido por Nadjara Dias Bezerra foi visto deixando o Palácio da Resistência por volta das 18 horas, em atitude suspeita, cheio de documentos (considerando que são necessários para a transição de governo) e a PM foi acionada para averiguação.

Nadjara Dias e o veículo foram conduzidas até a Delegacia de Plantão da Polícia Civil, no Alto de São Manoel, para esclarecimentos. 

O prefeito eleito, Allyson Bezerra, foi informado do fato e enviou os advogados de sua coligação para acompanhar o procedimento, considerado até então muito estranho.  A procuradora geral do município, Karine Ferreira, também acompanhou o caso.

O delegado de plantão Roberto Moura, ouviu o depoimento da servidora da prefeitura de Mossoró e em seguida conversou com os advogados da coligação de Allyson Bezerra que estava acompanhando o caso.

Confira o depoimento de Nadjara Dias Bezerra:


De posse de uma autorização, o delegado coletou várias pastas de dentro do veículo e levou para sua sala, onde fez uma análise dos documentos sendo observado pelos advogados da coligação de Allyson Bezerra e da procuradora  Karine Ferreira.

Em seguida, o delegado Roberto Moura devolveu os documentos no veículo, que por sua vez, foi levado pela condutora para o arquivo. Ela comentou que havia passado em casa para levar a irmã para ajudar no transporte e a guardar os documentos.

Os advogados que estavam acompanhando o caso disseram que se trata de uma transferência muito estranha, pelo horário, por não ser em carro oficial e  a arquivista está levando os documentos para uma residência na Ilha de Santa Luzia e não direto para o seu destino.

Confira declaração do delegado Roberto Moura após o caso está esclarecido.


A Prefeitura de Mossoró divulgou uma nota de esclarecimento

A Prefeitura de Mossoró informa que o procedimento de transferência do arquivo passivo faz parte da rotina administrativa. Os documentos estavam sendo transferidos para o Arquivo Central, pois houve liberação de espaço. Não há nenhuma irregularidade nesse tipo de iniciativa. A situação está sendo devidamente esclarecida na Delegacia de Plantão, pois uma servidora do gabinete foi alvo de uma denúncia de que estaria de posse de arquivos. É importante frisar que ela estava apenas transportando os documentos e que a iniciativa, repetimos, faz parte da rotina administrativa.

O Município frisa ainda que vai apurar as circunstâncias que levaram a falsa comunicação de crime, que teria sido feita por servidores. Caso seja comprovada, eles podem responder às sanções administrativas e penais previstas.


BO

Na delegacia de Plantão, a procuradora Karine Ferreira orientou a arquivista da Prefeitura Municipal de Mossoró a registrar um Boletim por denunciação caluniosa. 

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário