24 JAN 2021 | ATUALIZADO 22:03
SAÚDE
03/12/2020 07:52
Atualizado
03/12/2020 08:14

2ª ONDA: Ex-prefeita sugere que Rosalba e Allyson firmem pacto pela vida

A+   A-  
Além do fato de mais de 70% dos leitos de UTI covid19 estarem ocupados em Mossoró, a prefeita Rosalba Ciarlini não repassou os recursos enviados pelo SUS em outubro e novembro para a APAMIM custear o Hospital São Luiz; A Justiça Federal já foi acionada
Imagem 1 -  Além do fato de mais de 70% dos leitos de UTI covid19 estarem ocupados em Mossoró, a prefeita Rosalba Ciarlini não repassou os recursos enviados pelo SUS em outubro e novembro para a APAMIM custear o Hospital São Luiz; A Justiça Federal já foi acionada
Além do fato de mais de 70% dos leitos de UTI covid19 estarem ocupados em Mossoró, a prefeita Rosalba Ciarlini não repassou os recursos enviados pelo SUS em outubro e novembro para a APAMIM custear o Hospital São Luiz; A Justiça Federal já foi acionada

A ex-prefeita Claudia Regina fez um alerta importante nesta quarta-feira, dia 2, para que a atual prefeita Rosalba Ciarlini e o prefeito eleito Allyson Bezerra, façam um pacto pela vida.

Claudia Regina está fazendo referência ao crescimento alarmante de casos de covid19 nos hospitais de Mossoró. Cita que 7 dos 9 leitos de UTI covid19 no Hospital Regional Tarcísio Maia estão ocupados. 

No Hospital São Luiz, dos 30 leitos de UTI covid19, 23 estão ocupados. Mas existe algo mais grave que não foi citado pela ex-prefeita Claudia Regina, que trabalha na Saúde Estadual. 

É que a Prefeitura de Mossoró, na gestão de Rosalba Ciarlini, não repassa há dois meses (outubro e novembro) para a APAMIM os recursos enviados pelo Sistema Único de Saúde para manter o Hospital São Luiz. 

A situação é de fato extremamente grave. Além de mais de 70% dos leitos estarem ocupados, a Prefeitura parou de repassar os recursos enviados pelo SUS para o HSL.  A Assessoria jurídica da APAMIM já acionou a Justiça Federal.

Os recursos não foram enviados pelo SUS para a Prefeitura. Foram enviados, através do Fundo Municipal de Saúde, para a APAMIM custear o Hospital São Luiz, após o serviço ter sido prestado  população e auditado.

A explicação na Prefeitura é que os recursos não estão previstos no orçamento. Não teriam feito o remanejamento necessário para que os recursos cheguem ao seu destino e não fiquem retidos estranhamente nas contas da Prefeitura. 

Claudia Regina sugere as duas comissões de transição criarem um grupo de trabalho especializado para enfrentar a 2 onda covid19, e, desde já, imediatamente, firmarem um pacto pela vida em Mossoró e região. 

Segundo ela, “não dá para esperar”. Ela alerta que se não for tomada as medidas necessárias agora, corre o risco de acontecer em Mossoró o mesmo que aconteceu em Manaus.

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário