27 FEV 2021 | ATUALIZADO 21:06
SAÚDE
18/01/2021 07:43
Atualizado
18/01/2021 07:48

12 pacientes do Amazonas desembarcam em Natal durante à madrugada

A+   A-  
Dez vão ficar em leitos do Hospital Onofre Lopes e outros dois vão para o Hospital Gizelda Trigueiro. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou o secretário de Saúde Cipriano Maia
Imagem 1 -  Dez vão ficar em leitos do Hospital Onofre Lopes e outros dois vão para o Hospital Gizelda Trigueiro. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou o secretário de Saúde Cipriano Maia
Dez vão ficar em leitos do Hospital Onofre Lopes e outros dois vão para o Hospital Gizelda Trigueiro. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou o secretário de Saúde Cipriano Maia
FOTO: Elisa Elsie

O Estado do Rio Grande do Norte recebeu, na madrugada desta segunda-feira (18), 12 pacientes transferidos do Estado do Amazonas, a pedido da secretaria de saúde daquele estado. O avião pousou às 2h50 na Base Aérea de Natal (Bant), em Parnamirim.

A operação, coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), contou com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), que fez o transporte dos enfermos e da equipe médica, da Samu Natal e RN e também da STTU (Secretaria de Municipal de Mobilidade Urbana).

O secretário Cipriano Maia (Sesap) estava presente na chegada do voo e deu as boas-vindas oficialmente aos amazonenses. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou.

Inicialmente, o Governo do Estado do Amazonas havia projetado transferir 335 pacientes para outras 7 capitais brasileiras. Porém, devido ao crescente número de pacientes que chegam a capital daquele estado (Manaus), o Governo está solicitando mais vagas nos estados de destino. Em Manaus, faltam insumos, EPIs e principalmente oxigênio.

Inicialmente seriam 10 pacientes, mas a secretaria do Amazonas solicitou mais duas vagas à rede estadual hospitalar do RN. Os dois enfermos adicionais foram transferidos para o Hospital Giselda Trigueiro e 10 estão no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), que integra a rede de instituições coordenada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) e está recebendo pacientes do Amazonas em diversos estados brasileiros.


“Tudo está preparado para que os pacientes recebam o tratamento da melhor forma possível. Aqui no Rio Grande do Norte, teremos todo apoio tanto da equipe do HUOL como do Giselda e da Sesap para garantir informações aos familiares e o devido apoio à distância com a secretaria de saúde do Amazonas”, afirmou Cipriano. Segundo ele, o RN não corre risco de sofrer com a falta de oxigênio, fato garantido pela empresa que fornece o insumo ao estado.

“Tivemos uma decisão precavida, lá no início da pandemia, de instalarmos tanque de oxigênio em toda rede hospitalar do estado. Só tem um hospital que não tem e já estamos providenciando a instalação.

Portanto, não temos risco imediato a não ser que haja problema de grande proporção”, explicou. Mas, mesmo com a disponibilidade de leitos e com a chegada da vacina, ele faz um alerta para a população manter os cuidados de prevenção, como uso da máscara, álcool 70º e distanciamento social.


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário