08 MAI 2021 | ATUALIZADO 18:16
MOSSORÓ
ANNA PAULA BRITO
28/04/2021 12:28
Atualizado
28/04/2021 12:28

HCSL bloqueia 15 leitos de UTI por falta de “kit intubação” em Mossoró

A+   A-  
Dos 50 leitos de UTI Covid disponíveis no hospital de campanha, 30% estão bloqueados devido a falta de medicamentos necessários para realizar a sedação e a intubação do paciente com quadro agravado da doença. O envio dos medicamentos é de responsabilidade do Governo Federal e, de acordo com a Sesap, o estado não está recebendo estoque suficiente para atender à demanda do hospital. A direção da Apamim, junta interventora responsável pelo São Luiz, já informou a situação ao juiz, ao Ministério Público e às autoridades do governo do estado e da prefeitura de Mossoró.
Imagem 1 -
FOTO: ARQUIVO/MH

Por falta do chamado “Kit Intubação” o Hospital de Campanha São Luiz, em Mossoró, bloqueou 15 leitos de UTI Covid-19 nesta quarta-feira (28). Dos 50 leitos disponíveis na unidade hospitalar para atender a pacientes com quadro agravado da doença, apenas 35 seguem funcionando, estando todos ocupados.

A situação poderá se agravar ainda mais, visto que a falta do kit é um problema que atinge todo o país. Caso os estoques não sejam repostos, novos leitos terão de ser bloqueados à medida que os pacientes forem recebendo alta.

A direção da Apamim, junta interventora responsável pelo São Luiz, já informou a situação ao juiz, ao Ministério Público e às autoridades do governo do estado e da prefeitura de Mossoró.

O “Kit intubação” é um conjunto de medicamentos e sedativos utilizados para relaxar a musculatura e realizar a intubação dos pacientes, sem provocar sofrimento a estes.

O envio dos medicamentos é de responsabilidade do Governo Federal, visto que em 19 de março de 2021, a união requereu a produção nacional de medicamentos de UTI. Com isto, os distribuidores recolheram seus estoques não sendo possível a aquisição diretamente pelos hospitais.

Por meio de nota (ver ao final da matéria) a Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap) informou que, através da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), vem auxiliando o hospital São Luiz com envio de anestésicos. “Porém, a situação atual dos estoques da SESAP, voltados para a rede estadual encontra-se no limite”.

No sábado (24) a Apamin recebeu 750 ampolas de sedativos. Estas acabaram na segunda (26), Outra 600 ampolas foram entregues na segunda e acabaram nesta quarta (28), no início da manhã, provando o bloqueio dos leitos.

A Sesap informou, ainda, que “a requisição ter sido feita pelo Ministério de Saúde aos produtores e fornecedores, o Rio Grande do Norte não vem recebendo esse suporte com regularidade e não existe cronograma para o fornecimento por parte do governo federal”.

NOTA ENVIADA PELA SESAP À IMPRENSA

A Sesap esclarece que a responsabilidade de abastecimento de insumos e medicação é do Hospital São Luíz, de acordo com a pactuação para o funcionamento dos leitos de UTI Covid, através de Termo de Ajustamento de Conduta. Os leitos do hospital que estão bloqueados, se dão por falta de kit de intubação, insumos que estão em escassez a nível nacional.

A Sesap informa ainda que, através da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), vem auxiliando o hospital São Luiz com envio de anestésicos.

Porém, a situação atual dos estoques da SESAP, voltados para a rede estadual encontra-se no limite. Parte dos medicamentos está em processo de reposição, alguns com empenho já emitido e outros em finalização de aquisição. A Sesap mantém-se vigilante na busca por garantir a disponibilidade de insumos para manutenção da rede hospitalar.

Destacamos ainda que apesar da requisição ter sido feita pelo Ministério de Saúde aos produtores e fornecedores, o Rio Grande do Norte não vem recebendo esse suporte com regularidade, e não existe cronograma para o fornecimento por parte do governo federal.


Notas

Posto JP Fevereiro de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário