19 OUT 2021 | ATUALIZADO 18:25
POLÍCIA
ANNA PAULA BRITO
05/07/2021 12:03
Atualizado
05/07/2021 12:25

PMs envolvidos no caso Luan são afastados e têm armas recolhidas

A+   A-  
A informação foi confirmada à reportagem do MOSSORÓ HOJE pelo comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar. As armas estão sendo periciadas na sede do Itep. Um inquérito policial militar também já foi instaurado para averiguar a conduta dos envolvidos. A Delegacia de Homicídios, responsável pela investigação do caso, deve receber o relatório do plantão ainda nesta segunda (5).
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

A morte de Luan Carlos Melo Barreto, de 23 anos, assassinado na quinta-feira (1º) com um disparo de arma de fogo na cabeça, vem mobilizando a opinião pública, a fim de fazer pressão nas autoridades, para que o caso seja solucionado o mais breve possível.

Veja mais:

“Luan foi cruelmente assassinado pela Polícia Militar”, diz DCE/UFERSA


Nesta segunda-feira (5), o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, Tenente-Coronel Carlos Souza, confirmou à reportagem do MOSSORÓ HOJE que três policiais militares envolvidos no caso foram afastados das ruas e tiveram suas armas recolhidas.

Ainda segundo o comandante, um inquérito policial militar já foi instaurado para averiguar a conduta dos envolvidos. Estes ficarão em serviços internos até que o inquérito seja concluído.

As armas dos três policiais foram encaminhadas à sede do Instituto Técnico Científico de Perícia (Itep), onde passarão por exames de balística, para confirmar se o disparo que matou Luan partiu de uma delas.

O MOSSORÓ HOJE entrou em contato com a delegacia de homicídios, responsável pela investigação do caso, mas não obteve resposta até a última atualização desta matéria.

O relatório da delegacia de plantão deve ser enviado ainda hoje (5) para a DHM poder dar andamento nas investigações.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário