23 JAN 2022 | ATUALIZADO 23:18
ESPORTE
COM INFORMAÇÕES DO CPB
25/08/2021 11:05
Atualizado
25/08/2021 11:05

Brasil conquista primeiras medalhas de ouro e prata dos jogos paralímpicos na natação

A+   A-  
A prata veio com o nadador Gabriel Geraldo, 19 anos, o primeiro medalhista do Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, na madrugada desta quarta-feira (25). Já o nadador Gabriel Bandeira, de 21 anos, conquistou a primeira medalha de ouro para o Brasil, nesta manhã, nos 100m borboleta. Com o tempo de 54s76, a vitória marcou também o novo recorde paralímpico da prova para o brasileiro.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

O nadador mineiro Gabriel Geraldo, 19 anos, foi o primeiro medalhista do Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Na madrugada desta quarta-feira, 25, o atleta da classe S2 conquistou a medalha de prata na prova dos 100m costas, com o tempo de 2min02s47, no Centro Aquático de Tóquio.

Já o nadador Gabriel Bandeira, de 21 anos, conquistou a primeira medalha de ouro para o Brasil. A medalha veio na manhã de hoje, quando Gabriel venceu os 100m borboleta, pela classe S14 (para atletas com deficiência intelectual), com o tempo de 54s76, marca que também valeu o novo recorde paralímpico da prova para o brasileiro.

PRATA

Na conquista da prata, Gabriel Geraldo chegou a virar os primeiros 100m da prova na liderança, com um tempo de 56s18.

Mineiro de Santa Luzia (MG), o nadador tem focomelia, doença congênita que impede a formação normal de braços e pernas, e conheceu a natação por meio de um professor de Educação Física da escola onde estudava, nos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG).

"Estou feliz e muito emocionado. Só eu sei o que passei para estar aqui. Essa medalha não é só minha, mas da minha família, do povo de Juiz de Fora, de todo mundo que torceu por mim. Dedico essa prata ao meu avô, que faleceu na semana passada", disse Gabriel Geraldo, emocionado, em entrevista ao Sportv.

OURO

Até os 11 anos de idade, Gabriel Bandeira, natural de Indaiatuba (SP), competia na natação convencional. Após algumas dificuldades de evolução nos treinamentos, ele foi submetido a alguns testes, que constataram uma deficiência intelectual.

No ano passado, o nadador participou de sua primeira competição paralímpica e, na ocasião, quebrou quatro recordes brasileiros. Já em 2021, bateu seis recordes das Américas.

"Acho que dentro do possível, [o ouro foi] mais do que o esperado. Tivemos um imprevisto. Ficamos mais tempo dentro do quarto do que o esperado. Tenho mais cinco provas. Foi bom quebrar o gelo com ouro [risos]", disse Gabriel Bandeira em entrevista ao SporTV.

Somando estes pódios, o Brasil já conquistou 303 medalhas na história dos Jogos Paralímpicos. Além disso, com a vitória de Gabriel Bandeira, o país chegou a 88 medalhas de ouro - faltando 12 para a 100ª.

Ainda são 113 de prata e 102 de bronze. Vale ressaltar que o país está entre as 20 nações que mais medalharam em toda a história do megaevento paradesportivo.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário