15 JUN 2024 | ATUALIZADO 22:35
NACIONAL
POR LEANDRO MAZZINI E WALMOR PARENTE
05/04/2022 09:54
Atualizado
05/04/2022 10:19

[COLUNA ESPLANADA] PL pressiona Lira por comandos da CCJ e da CMO

A+   A-  
Inflado após a janela partidária, o PL pressiona o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para comandar as duas principais comissões da Casa: de Constituição e Justiça (CCJ) e a do Orçamento (CMO). O partido do presidente Jair Bolsonaro agora tem a maior bancada, com 73 deputados – 40 a mais que os 33 eleitos em 2018. Deputados do PL lembram Lira do acordo selado nas eleições da Mesa Diretora, no ano passado, que previa o comando dos dois colegiados para o então PSL. O partido se fundiu ao DEM para formar o União Brasil.
Imagem 1 -  [COLUNA ESPLANADA] Inflado após a janela partidária, o PL pressiona o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para comandar as duas principais comissões da Casa: de Constituição e Justiça (CCJ) e a do Orçamento (CMO). O partido do presidente Jair Bolsonaro agora tem a maior bancada, com 73 deputados – 40 a mais que os 33 eleitos em 2018. Deputados do PL lembram Lira do acordo selado nas eleições da Mesa Diretora, no ano passado, que previa o comando dos dois colegiados para o então PSL. O partido se fundiu ao DEM para formar o União Brasil.
[COLUNA ESPLANADA] Inflado após a janela partidária, o PL pressiona o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para comandar as duas principais comissões da Casa: de Constituição e Justiça (CCJ) e a do Orçamento (CMO). O partido do presidente Jair Bolsonaro agora tem a maior bancada, com 73 deputados – 40 a mais que os 33 eleitos em 2018. Deputados do PL lembram Lira do acordo selado nas eleições da Mesa Diretora, no ano passado, que previa o comando dos dois colegiados para o então PSL. O partido se fundiu ao DEM para formar o União Brasil.
FOTO: REPRODUÇÃO

COLUNA ESPLANADA

Leandro Mazzini e Walmor Parente

Com Carolina Freitas e Sara Moreira


BRASÍLIA, TERÇA-FEIRA, 5 DE ABRIL DE 2022 - Nº 3321

PL pressiona Lira

Inflado após a janela partidária, o PL pressiona o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para comandar as duas principais comissões da Casa: de Constituição e Justiça (CCJ) e a do Orçamento (CMO). O partido do presidente Jair Bolsonaro agora tem a maior bancada, com 73 deputados – 40 a mais que os 33 eleitos em 2018. Deputados do PL lembram Lira do acordo selado nas eleições da Mesa Diretora, no ano passado, que previa o comando dos dois colegiados para o então PSL. O partido se fundiu ao DEM para formar o União Brasil.

Desembarque

A ala bolsonarista desembarcou em peso do União e não abre mão do acordo firmado com o presidente da Câmara.

Disputa

Já deputados do União Brasil questionam o acordo, pois o partido também “abriga” políticos do extinto PSL. Querem emplacar o Arthur Maia (BA) no comando da CCJ.

Como assim?

Antes de deixar o Podemos, Sergio Moro se queixava com assessores de “boatos” sobre eventual desistência da corrida à Presidência. Surpresos, esses mesmos assessores souberam pela imprensa que o ex-juiz abandonara o partido e a pré-candidatura.

Via Kassab

Ilhado, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, insiste em encontrar um nome para disputar a Presidência da República pelo partido. Em último caso, tem admitido, ele mesmo será o candidato.

Bancadas

Procurado por emissários do PT e de outros partidos, Kassab mantém a posição de fechar apoio somente em um eventual segundo turno. O principal objetivo do ex-prefeito paulistano - com a candidatura própria - é puxar votos para ampliar as  bancadas no Congresso Nacional.

“Repugnante”

A Rede e o Psol querem a cassação de Eduardo Bolsonaro (PL-SP) após o deputado ter ironizado a tortura sofrida pela jornalista Míriam Leitão durante a ditadura militar. Na representação, protocolada ontem no Conselho de Ética, os partidos classificam a agressão do filho de Jair Bolsonaro como "criminosa, repugnante e abjeta".

Garimpeiro

Nove prefeitos são esperados hoje na Comissão de Educação do Senado para dar explicações sobre o escândalo dos pastores que intermediavam emendas do MEC. Entre eles, está Júnior Garimpeiro (PP), prefeito de Centro Novo (MA), que no ano passado foi preso por extração e venda ilegal de ouro.

Abortivos

O Ministério Público quer que o Facebook tome providências sobre a utilização do WhatsApp para o comércio ilegal de remédios abortivos. A Coluna alertou para o caso em janeiro. A empresa já desabilitou 96 páginas no Facebook e Instagram depois de ter sido notificada pelo MP. A venda de medicamentos on-line é uma atividade permitida exclusivamente a farmácias e drogarias e somente com a devida licença sanitária e autorização da Anvisa.

OAB das mulheres

Depois de a OAB adotar cotas de 50% de mulheres em seus conselhos e diretorias, advogadas passaram a ter mais apoio para ocupar outros espaços. Um exemplo está nas duas recentes listas da entidade com indicações para o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, cada uma com cinco mulheres e apenas um homem.

Unicórnio

Senador Renan Calheiros (MDB-AL) ironiza a chamada terceira via, da qual faz parte a pré-candidata do partido, Simone Tebet (MS): “A terceira via nesta eleição é um unicórnio. Muitos falam, mas não existe”.

Buscas

Levantamento feito pela plataforma de pesquisa Semrush aponta que o número de buscas na internet pelo termo “preço da gasolina” aumentou 800% após o reajuste anunciado pela Petrobras no dia 10 de março. E se manteve crescente nas semanas subsequentes do mesmo mês.

ESPLANADEIRA

# MV firma parceria com ONG Generation Brasil. # Ice Cream Roll inaugurou nova unidade no Mooca Plaza Shopping (SP). # Consultoria Tribo recebe Prêmio “Melhores para o Brasil” da Humanizadas. # ClickBus mantém Selo de Segurança Reforçada. # Coletivo Entreartes abre mostra "Alma Tarsila", na Sala Leila Diniz, em Niterói (RJ), dia 7.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário