28 FEV 2024 | ATUALIZADO 18:28
MUNDO
Com informações a FAB e Agencia Brasil
11/02/2023 12:17
Atualizado
11/02/2023 12:29

FAB resgata 17 sobreviventes na Turquia/Síria; número de mortes passa de 24 mil

A+   A-  
Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) deixa a Turquia rumo ao Brasil com 17 pessoas neste fim de semana. São nove brasileiros, dois turcos, três sírios, um egípcio e dois colombianos. A aeronave pousou no país para desembarcar uma equipe de ajuda humanitária composta por 42 profissionais de resgate em razão do terremoto registrado em cidades turcas e sírias na segunda-feira (6). O voo de volta ao Brasil deve durar cerca de 14 horas e o pouso está previsto para acontecer no início da madrugada deste domingo (12), no Rio de Janeiro.
Imagem 1 -  Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) deixa a Turquia rumo ao Brasil com 17 pessoas neste fim de semana. São nove brasileiros, dois turcos, três sírios, um egípcio e dois colombianos. A aeronave pousou no país para desembarcar uma equipe de ajuda humanitária composta por 42 profissionais de resgate em razão do terremoto registrado em cidades turcas e sírias na segunda-feira (6). O voo de volta ao Brasil deve durar cerca de 14 horas e o pouso está previsto para acontecer no início da madrugada deste domingo (12), no Rio de Janeiro.
Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) deixa a Turquia rumo ao Brasil com 17 pessoas neste fim de semana. São nove brasileiros, dois turcos, três sírios, um egípcio e dois colombianos. A aeronave pousou no país para desembarcar uma equipe de ajuda humanitária composta por 42 profissionais de resgate em razão do terremoto registrado em cidades turcas e sírias na segunda-feira (6). O voo de volta ao Brasil deve durar cerca de 14 horas e o pouso está previsto para acontecer no início da madrugada deste domingo (12), no Rio de Janeiro.
Fotos: Capitão Emília e Sargento André Souza / CECOMSAER

Missão cumprida! Quarenta e dois homens e mulheres de diversas capitais brasileiras desembarcaram na cidade de Ankara, capital da Turquia, às 4h da manhã desta sexta-feira (horário de Brasília). Um grupo composto por bombeiros militares, profissionais da saúde e da defesa civil decolou de Guarulhos, na manhã da quinta-feira (09/02), para levar esperança em forma de alimentos, equipamentos, cães farejadores e apoio operacional a quem mais precisa.

No retorno ao Brasil, o avião da FAB está trazendo 17 pessoas. São nove brasileiros, dois turcos, três sírios, um egípcio e dois colombianos.  O voo de volta ao Brasil deve durar cerca de 14 horas e o pouso está previsto para acontecer no início da madrugada deste domingo (12), no Rio de Janeiro.

O professor brasileiro Guilherme Brito, de 22 anos de idade, integra a lista de passageiros. Ele estava fazendo um intercâmbio na cidade de Adana quando o primeiro tremor aconteceu.

“Tinha acabado de chegar. Estava bem cansado, mas muito feliz. Jantei, fui dormir, e, por volta de 4h da manhã, senti tudo tremer”, disse. Pouco tempo depois, segundo ele, um segundo tremor, ainda mais forte, aconteceu. Já fora do dormitório, ele chegou a ver pelo menos três prédios caídos, mas muitos outros com rachaduras graves.

Fazia bastante frio na cidade no momento em que o terremoto aconteceu e muitas pessoas, segundo Guilherme, perderam a vida em meio aos escombros não somente por conta dos ferimentos, mas também por causa das baixas temperaturas. Ele disse que os termômetros marcavam em torno de 3 graus Celsius (°C), mas a sensação térmica era de -1°C.

“Começamos a andar pelas ruas com um amigo turco, e ele nos alertou para que não andássemos por ali porque havia risco de demolir, de cair. Acabei decidindo não ficar [na Turquia] justamente por isso. Minha ideia era ajudar, mas percebi que aquela zona ainda era de risco, embora não fosse uma área tão afetada. O medo começou a tomar conta”.

MISSÃO HUMANITÁRIA

"É uma equipe de resgate, uma força tarefa brasileira, que envolve profissionais militares de três estados do Corpo de Bombeiros, de Oficiais médicos, e da Defesa Civil tanto do estado de São Paulo quanto do Governo Federal. Muitos desses profissionais já trabalharam em Brumadinho, em outras catástrofes em âmbito nacional e, também, em âmbito internacional, já foram pro Haiti, Moçambique e tudo se soma. Nossa expectativa é a melhor, a de poder ajudar as pessoas", explicou o Coronel Carlos Alberto de Camargo Junior, que é Comandante do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

Além dos profissionais, que irão ajudar nas ações de busca e atendimento médico na região que foi abalada por terremotos de alta magnitude nos últimos dias, a aeronave KC-30 da Força Aérea Brasileira (FAB) também realizou o transporte de cerca de 10 toneladas de equipamentos, medicamentos, kits de emergência e cães farejadores, que irão ajudar nas buscas.Clique aqui para baixar a imagem original

A viagem foi a primeira missão humanitária no exterior realizada pelo KC-30, durou cerca de 12 horas e foi marcada pelos ajustes finais no planejamento e pela expectativa dos profissionais que irão atuar no apoio humanitário.

“A expectativa é de que tenha bastante trabalho, e a gente fique nessa função relacionada à saúde, mas não somente a saúde relacionada ao trauma ou à situação das pessoas envolvidas, mas também à segurança da própria equipe brasileira que tá indo ajudar, de modo que a gente tenha uma equipe que possa dar segurança caso um de nós também se machuque”, contou a Capitão Médica Fabiana Maria Ajjar, da Polícia Militar de São Paulo.

Com o coração aberto, mas ao mesmo tempo apertado pela família que deixou no Brasil, o Subcomandante do Batalhão de Emergências Ambientais e Respostas aos Desastres do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, Major Heitor Mendonça, destacou a importância da missão. "Os profissionais que estão aqui estão de coração aberto, fazendo um serviço muito importante e, com toda certeza, vão compreender isso, mas a saudade aperta quando a gente fica longe. E fazer um bom trabalho é mais uma forma da gente honrar tanto a nossa família, quanto o povo brasileiro, que merece ser representado à altura, a competência e a dignidade que o nosso país tem", disse.

Clique aqui para baixar a imagem originalPlanejamento concluído e expectativas compartilhadas no voo, a hora mais esperada chegou. O pouso no país europeu ocorreu com sucesso, mas com um único imprevisto. Inicialmente, a equipe de resgate iria para a cidade de Adana, mas devido ao alto fluxo no aeroporto, a aeronave da FAB teve o curso alterado e precisou pousar em Ankara. Marcando seis graus negativos, tanto a equipe de resgate quanto a carga desembarcaram e, de lá, seguiram, para seu destino final, visando ajudar quem mais precisa.

"Essa missão é extremamente importante, pois ela representa um grande esforço brasileiro, uma construção de sinergia, de sintonia entre o Governo Federal, os governos estaduais pra construir essa força humanitária do Brasil em apoio a essa situação tão crítica que a população da Turquia está passando. Nosso muito obrigada à Força Aérea Brasileira pela parceria e por possibilitar a chegada dessa equipe na região turca", concluiu o Coordenador de Estudos Integrados da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, Rafael Pereira Machado, que representou o governo federal na missão.

KC-30

O KC-30, designativo militar para o Airbus A330, é uma aeronave com peso máximo de 233 mil quilos e com velocidade máxima de 995 quilômetros por hora. Com envergadura de 60,03 metros e comprimento de 58,8 metros, sua carga útil é de 45 mil quilos.

O primeiro Airbus A330-200 foi incorporado com a matrícula FAB 2901 e será convertido em Multi Role Tanker Transport, o MRTT. Com isso, a FAB aumenta sua capacidade em ações estratégicas, como reabastecimento em voo, apoio logístico e ações humanitárias, sejam elas nacionais ou internacionais. Em situações de calamidade pública, como desastres naturais, pandemias ou emergências médicas, a aeronave também poderá realizar Missões de Evacuação Aeromédica (EVAM) para um grande número de pacientes.Clique aqui para baixar a imagem original

O KC-30 é a maior aeronave já operada pela Força Aérea Brasileira, podendo transportar até 238 passageiros e voar uma distância de 14,5 mil quilômetros. Assim, a incorporação da aeronave à FAB resultará no restabelecimento da capacidade estratégica em prol da defesa do país e do apoio ao desenvolvimento nacional.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário