25 FEV 2024 | ATUALIZADO 11:05
NACIONAL
28/11/2023 16:17
Atualizado
28/11/2023 16:17

Petrobras e BNSES em 8 projeto voltados à recuperação de manguezais e restingas

A+   A-  
Os vencedores do edital “Manguezais do Brasil” contarão com R$ 47,3 milhões das duas instituições, para investir em ações de recuperação da vegetação nativa em áreas de manguezal e restinga nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.
Imagem 1 -  Petrobras e BNSES em 8 projeto voltados à recuperação de manguezais e restingas. Os vencedores do edital “Manguezais do Brasil” contarão com R$ 47,3 milhões das duas instituições, para investir em ações de recuperação da vegetação nativa em áreas de manguezal e restinga nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.
Petrobras e BNSES em 8 projeto voltados à recuperação de manguezais e restingas. Os vencedores do edital “Manguezais do Brasil” contarão com R$ 47,3 milhões das duas instituições, para investir em ações de recuperação da vegetação nativa em áreas de manguezal e restinga nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.

Oito projetos vencedores do edital “Manguezais do Brasil” vão contar com R$ 47,3 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Petrobras para ações de recuperação da vegetação nativa em áreas de manguezal e restinga nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.

A iniciativa está voltada à recuperação de áreas degradadas para proteção da biodiversidade e adaptação às mudanças climáticas.

Os recursos serão aplicados na recuperação de 1.757 hectares de vegetação, o equivalente a 2,2 mil campos de futebol, em três macrorregiões (Costa Norte, Nordeste/Espírito Santo e Sul/Sudeste) definidas pelo Plano de Ação Nacional para a Conservação das Espécies Ameaçadas e de Importância Socioeconômica do Ecossistema Manguezal, do ICMBio.

A gestão operacional e a execução dos projetos ficarão a cargo do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), parceiro gestor do Floresta Viva.

“Devido à sua localização na costa litorânea, esses ecossistemas sofrem ameaças decorrentes da expansão urbana e de atividades humanas. Com este apoio a projetos de recuperação, vamos contribuir para a conservação da biodiversidade e dos recursos hídricos, a remoção de dióxido de carbono da atmosfera e a geração de emprego e renda nas comunidades impactadas”, disse o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

"O manguezal, ecossistema do bioma Mata Atlântica que será restaurado por esses projetos, é um importante aliado na mitigação das mudanças climáticas. Através dessa parceria com o BNDES, reforçamos nossa contribuição para transformar nossos resultados em retorno para a sociedade e o meio ambiente", afirmou Jean-Paul Prates, presidente da Petrobras.

SELEÇÃO

O projeto “CO2 Manguezal”, da Fundação Vovó do Mangue, vai receber R$ 5,4 milhões para ações de restauração de 200 hectares na área da Área de Proteção Ambiental Baía de Todos os Santos e da Reserva Extrativista Marinha Baía do Iguape (BA).

“A ideia é atuar nas comunidades em dois ou três municípios (Maragogipe, São Francisco dos Santos e Vera Cruz), a partir da educação ambiental de crianças e adultos", explicou Luiz Carlos, diretor geral da fundação.

Para a restauração de 316 hectares de manguezais em São Paulo e no Paraná, o projeto “Entre Mangues e Caranguejos”, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), terá R$ 5,7 milhões.

Em área correspondente a antigas pastagens de búfalos da Reserva Natural Papagaio-de-cara-roxa (RNPCR), em Guaraqueçaba (PR), a iniciativa inclui monitoramento de fauna a partir da avaliação dos estoques de caranguejo-uçá.

"O edital proporciona uma oportunidade única em busca de resultados de grande escala na conservação dos manguezais do país", afirmou o diretor executivo da SPVS, Clóvis Borges.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário