25 FEV 2024 | ATUALIZADO 11:05
ESTADO
ANNA PAULA BRITO
08/02/2024 10:30
Atualizado
08/02/2024 10:30

Governo diz que considera legítimas as reivindicações da PCRN e pede prazo para se manifestar

A+   A-  
O governo do RN se manifestou, por meio de nota, sobre as reivindicações que estão sendo feitas pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado. Nesta quarta-feira (7), os servidores paralisaram as atividades para cobrar a reposição de perdas inflacionárias em seus salários, bem como a convocação dos novos policiais, que concluíram o curso de formação em 1º de fevereiro. Em nota, o governo afirmou que “defende a manutenção do diálogo”, mas que “avançar nesta pauta requer disponibilidade fiscal e financeira orçamentária”.
Imagem 1 -  Governo diz que considera legítimas as reivindicações da PCRN e pede prazo para se manifestar. O governo do RN se manifestou, por meio de nota, sobre as reivindicações que estão sendo feitas pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado. Nesta quarta-feira (7), os servidores paralisaram as atividades para cobrar a reposição de perdas inflacionárias em seus salários, bem como a convocação dos novos policiais, que concluíram o curso de formação em 1º de fevereiro. Em nota, o governo afirmou que “defende a manutenção do diálogo”, mas que “avançar nesta pauta requer disponibilidade fiscal e financeira orçamentária”.
Governo diz que considera legítimas as reivindicações da PCRN e pede prazo para se manifestar. O governo do RN se manifestou, por meio de nota, sobre as reivindicações que estão sendo feitas pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado. Nesta quarta-feira (7), os servidores paralisaram as atividades para cobrar a reposição de perdas inflacionárias em seus salários, bem como a convocação dos novos policiais, que concluíram o curso de formação em 1º de fevereiro. Em nota, o governo afirmou que “defende a manutenção do diálogo”, mas que “avançar nesta pauta requer disponibilidade fiscal e financeira orçamentária”.

O Governo do Rio Grande do Norte se manifestou, por meio de nota, sobre as reivindicações que estão sendo feitas pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado.

Nesta quarta-feira (7), os servidores paralisaram as atividades em todas as delegacias, com exceções das delegacias de plantão, para cobrar do governo a reposição de perdas inflacionárias em seus salários, bem como a convocação dos novos policiais, que concluíram o curso de formação em 1º de fevereiro.

De acordo com o sindicato, os policiais civis do RN vêm acumulando perdas em seus vencimentos há cerca de 5 anos.

Em nota, o governo afirmou que “defende a manutenção do diálogo e considera legítimas as reivindicações das categorias que integram a Polícia Civil do Rio Grande do Norte”.

Disse, no entanto, que “avançar nesta pauta requer disponibilidade fiscal e financeira orçamentária”, mas que os pleitos estão sendo avaliados e solicitou um prazo para se manifestar.

“Cabe esclarecer à sociedade que desde 2019 tem concedido, por justiça, tratamento especial à segurança pública, mantendo a regularidade do pagamento mensal dos servidores, e reforçando o efetivo através da realização de concurso público para delegados, agentes e escrivães da Polícia Civil. Havia 15 anos desde a realização do último concurso”, diz a nota.

Na segunda-feira (5), em reunião com a delegada geral, Ana Claudia Saraiva, a governadora Fátima Bezerra se comprometeu a realizar a convocação dos novos policiais, entre agentes, escrivães e delegados, em até 15 dias.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA ABAIXO.

O Governo do Estado defende a manutenção do diálogo e considera legítimas as reivindicações das categorias que integram a Polícia Civil do Rio Grande do Norte. Avançar nesta pauta, no entanto, requer disponibilidade fiscal e financeira orçamentária. Em tempo, destaca que o comitê gestor avalia os pleitos e solicitou prazo para se posicionar, e que não há qualquer atraso salarial.

Cabe esclarecer à sociedade que desde 2019 tem concedido, por justiça, tratamento especial à segurança pública, mantendo a regularidade do pagamento mensal dos servidores, e reforçando o efetivo através da realização de concurso público para delegados, agentes e escrivães da Polícia Civil. Havia 15 anos desde a realização do último concurso.

Hoje, esses servidores têm um calendário de pagamento, algo elementar e necessário, mas que há anos não existia. Convocamos e nomeamos quase 400 agentes, delegados e escrivães no ano de 2023, e investimos na formação de outros 386 profissionais, que serão nomeados o mais breve possível, considerando as condições de equilíbrio financeiro do Estado.

O Governo do RN deu andamento às promoções de carreira, interrompendo o silêncio que há anos perdurava, sem que as categorias fossem ouvidas e atendidas. Destaca que as categorias foram contempladas com reajustes salariais, e não menos importante, os diversos investimentos em infraestrutura e aquisição de equipamentos de trabalho. Ampla renovação da frota de veículos da Polícia Civil, armamentos, investimento em novas tecnologias para otimizar as investigações, reforma de delegacias, e em andamento a construção da Cidade da Polícia Civil, um pleito antigo das categorias.

O Governo do Estado permanece aberto ao diálogo, com seus secretários à disposição para ouvir e discutir alternativas viáveis às pautas das categorias.

Natal, 07 de fevereiro de 2024

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário