22 ABR 2024 | ATUALIZADO 15:35
CONCURSOS
09/02/2024 18:00
Atualizado
09/02/2024 18:00

Inscrições no Concurso Nacional Unificado terminam nesta sexta, 9

A seleção superou a marca de 2 milhões de inscritos. Prazo final para pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) é 16 de fevereiro. Para se inscrever, a pessoa interessada deve acessar a página do Gov.Br. Em seguida, é necessário fazer o login e seguir as orientações indicadas. No momento da inscrição, o candidato faz a escolha pelas carreiras, que estarão divididas em oito blocos temáticos. Cada bloco reúne as carreiras que possuem semelhanças entre si.
Inscrições no Concurso Nacional Unificado terminam nesta sexta, 9. A seleção superou a marca de 2 milhões de inscritos. Prazo final para pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) é 16 de fevereiro. Para se inscrever, a pessoa interessada deve acessar a página do Gov.Br. Em seguida, é necessário fazer o login e seguir as orientações indicadas. No momento da inscrição, o candidato faz a escolha pelas carreiras, que estarão divididas em oito blocos temáticos. Cada bloco reúne as carreiras que possuem semelhanças entre si.

Termina nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, o prazo de inscrição para o Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), popularmente conhecido como Enem dos Concursos. A seleção inaugurou um modelo inovador e já alcança marcas históricas, sendo a única do país a ultrapassar o número de dois milhões de inscritos.

Para se inscrever, a pessoa interessada deve acessar a página do Gov.Br. Em seguida, é necessário fazer o login e seguir as orientações indicadas. No momento da inscrição, o candidato faz a escolha pelas carreiras, que estarão divididas em oito blocos temáticos. Cada bloco reúne as carreiras que possuem semelhanças entre si.

O concurso permite a inscrição para a disputa por vagas para mais de um cargo, desde que dentro do mesmo bloco temático. A pessoa até pode trocar de bloco temático, se assim desejar, mas somente durante o período das inscrições. Será considerada válida apenas a última alteração realizada dentro do período.

Uma das vantagens é que o candidato pagará uma taxa de inscrição única. Ao concorrer a mais de um cargo, o candidato deverá classificar as vagas de interesse por ordem de preferência para definir a prioridade em uma possível chamada, baseada na nota alcançada. Desta forma, o foco é na promoção da igualdade de oportunidades de acesso aos cargos públicos efetivos.

A prova será realizada simultaneamente em 220 cidades do Brasil no dia cinco de maio. "Justamente por estarem há vários anos sem concurso, os ministérios tinham perdido a capacidade de fazer o concurso. E a gente começou a perceber que os concursos que abriram, às vezes, eram só em Brasília”, destacou Esther Dweck, ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos.

“Se eu fizer um concurso só em Brasília, eu não estou garantindo a diversidade do Brasil para entrar no serviço público brasileiro. Quanto maior a diversidade que a gente tiver, maior vai ser a capacidade de pensar boas políticas públicas", acrescentou a ministra.

PAGAMENTO

O prazo final para pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) é o mesmo para todos: 16 de fevereiro. Para os cargos de nível superior, a taxa de inscrição é de R$ 90, enquanto para o bloco de cargos de nível médio o valor é de R$ 60. O pagamento da taxa deve ser feito apenas por meio da GRU, que pode ser paga no banco, ou via PIX, com o respectivo QR Code.

“A inscrição final depende do pagamento das inscrições, então vale o alerta ao pessoal que já se inscreveu e ainda não pagou", frisou Dweck. O aviso serve para candidatos que já realizaram a inscrição (mas que ainda não pagaram a taxa) e também para aqueles que receberam a negativa do pedido de isenção e precisam efetuar agora o pagamento da GRU.

FUTUROS CONCURSOS

Em outra ocasião, Esther Dweck pontuou que irá autorizar, ao longo da gestão, novos concursos para outros órgãos que não foram contemplados no CPNU. "Nessa primeira leva, a gente foi tentando priorizar áreas que estavam muito desfalcadas e que não tinham tido um concurso no período mais recente”, argumentou a ministra.

“A nossa ideia é que a gente consiga fazer um novo concurso unificado, juntando outras áreas. Então, teremos novamente, se tudo der certo, esse concurso unificado e a nossa expectativa é que seja de dois em dois anos", completou.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário