17 ABR 2024 | ATUALIZADO 18:23
NACIONAL
POR LEANDRO MAZZINI COM WALMOR PARENTE, CAROL PURIFICAÇÃO E TOM CAMILO
27/02/2024 09:40
Atualizado
27/02/2024 09:41

[COLUNA ESPLANADA] Recursos públicos bancaram 170 agremiações e blocos carnavalescos

Recursos públicos bancaram 170 agremiações e blocos carnavalescos de todo o Brasil que captaram e gastaram, via Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), mais de R$ 10 milhões no carnaval deste ano, segundo o Ministério da Cultura (MinC). À Coluna, a pasta assegura que todos os projetos passam por um minucioso processo de avaliação técnica que observa a admissibilidade de acordo com a legislação, o parecer técnico por especialistas, a avaliação da entidade vinculada do MinC, envolvendo a viabilidade financeira e as contrapartidas sociais previstas na Lei: “Somente os que passam pelas etapas podem captar e executar os projetos”. Além da verba federal, escolas de samba e blocos recebem recursos estaduais e patrocínios empresariais. A Lei de Incentivo, revigorada no Governo Lula 3, foi muito criticada na gestão Bolsonaro por privilegiar poucas agências de grandes artistas.
[COLUNA ESPLANADA] Recursos públicos bancaram 170 agremiações e blocos carnavalescos de todo o Brasil que captaram e gastaram, via Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), mais de R$ 10 milhões no carnaval deste ano, segundo o Ministério da Cultura (MinC). À Coluna, a pasta assegura que todos os projetos passam por um minucioso processo de avaliação técnica que observa a admissibilidade de acordo com a legislação, o parecer técnico por especialistas, a avaliação da entidade vinculada do MinC, envolvendo a viabilidade financeira e as contrapartidas sociais previstas na Lei: “Somente os que passam pelas etapas podem captar e executar os projetos”. Além da verba federal, escolas de samba e blocos recebem recursos estaduais e patrocínios empresariais. A Lei de Incentivo, revigorada no Governo Lula 3, foi muito criticada na gestão Bolsonaro por privilegiar poucas agências de grandes artistas.
FOTO: BRUNO ROCHA/FOTOARENA/FOLHAPRESS

COLUNA ESPLANADA

Leandro Mazzini

com Walmor Parente, Carol Purificação e Tom Camilo


BRASÍLIA, TERÇA-FEIRA, 27 DE FEVEREIRO DE 2024 - Nº 3.823

Folia na Rouanet

Recursos públicos bancaram 170 agremiações e blocos carnavalescos de todo o Brasil que captaram e gastaram, via Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), mais de R$ 10 milhões no carnaval deste ano, segundo o Ministério da Cultura (MinC). À Coluna, a pasta assegura que todos os projetos passam por um minucioso processo de avaliação técnica que observa a admissibilidade de acordo com a legislação, o parecer técnico por especialistas, a avaliação da entidade vinculada do MinC, envolvendo a viabilidade financeira e as contrapartidas sociais previstas na Lei: “Somente os que passam pelas etapas podem captar e executar os projetos”. Além da verba federal, escolas de samba e blocos recebem recursos estaduais e patrocínios empresariais. A Lei de Incentivo, revigorada no Governo Lula 3, foi muito criticada na gestão Bolsonaro por privilegiar poucas agências de grandes artistas.

Pássaros de Torres

Em meio à ventania que atinge seu partido, o PL, o deputado Cabo Gilberto Silva (PB) está mais preocupado com pássaros do ex-ministro Anderson Torres. Ele cobra, do Ministério do Meio Ambiente, posição sobre a suposta morte de 16 aves apreendidas na mansão de Torres. O deputado desconfia de “possível atuação com abuso de poder com danos a terceiros”.


De olho

A Justiça Eleitoral está de olho nos pré-candidatos que foram ao ato do ex-presidente Jair Bolsonaro. Podem receber multas, que variam de R$ 5 mil a R$ 25 mil, por propaganda antecipada se divulgarem registros do evento, principalmente o trecho em que Bolsonaro afirmou: “Vamos caprichar no voto, em especial para vereadores e para prefeitos”.

Nota zero

Francisco Verri, filho do diretor-geral pelo Brasil da Usina Binacional Itaipu, Enio Verri, fez concurso para comunicação da estatal, mas zerou a redação e ficou em 30º lugar. Mesmo assim, gente malvada da oposição espalhou que ele teria passado, para constranger o pai. À Coluna, a Itaipu posiciona que Francisco “não irá assumir nenhum cargo, já que zerou a redação e ficou entre os últimos colocados”.

MST x FPMIZ

O MST e a Frente Invasão Zero (FPMIZ) travam embate na Câmara. Haverá amanhã sessão em homenagem aos 40 anos do movimento. Presidente da Frente, o deputado Luciano Zucco (PL-RS) protocolou moção de repúdio à homenagem. Confirmaram presença, entre outros, o ministro de Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, o embaixador de Cuba, Rolando Gonzáles, e o presidente da Conab, Edegar Preto.

Lágrimas de Sal

Uma das primeiras ações da CPI da Braskem será solicitar à PF acesso à Operação Lágrimas de Sal deflagrada contra a Braskem, há dois meses, para apurar o afundamento de bairros causado pela mineração de sal-gema feita pela empresa em Maceió. O plano de trabalho será apresentado hoje pelo relator, senador Rogério de Carvalho (PT-SE).

ESPLANADEIRA

# Rioarena doa 78 kg de alimentos para a ONG RIOinclui. # CAPEMISA Seguradora comemora 15 anos da Sou + Você. # Riocentro recebe, entre 19 e 21 de março, a Super Rio Expofood. # Bradesco Seguros abre vagas para estágio de graduação e tecnólogo até o dia 4 de março.  # OEI lança 4ª edição das bolsas Paulo Freire+ para doutorado. # RenovaBR abre inscrições, até dia 29, para curso preparatório para as eleições.

Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário