25 MAI 2024 | ATUALIZADO 14:12
POLÍCIA
13/05/2024 20:52
Atualizado
13/05/2024 21:11

Em nova audência, Justiça decide manter Lagartixa preso na Bahia

A+   A-  
O juiz da Vara Criminal de Vitória da Conquista-BA, Leonardo Coelho Bonfim, decidiu por referendar a decisão do colega de plantão, juiz Eduardo Ferreira Padilha, mantendo a decisão de prisão preventiva do PM aposentado Wendel Lagartixa, "diante do risco concreto de reiteração delitiva". O Potiguar deve aguardar julgamento preso por posse de arma de uso restrito e por fraude processual numa unidade da PM em Vitória da Conquista ou Salvador.
Imagem 1 -  O juiz da Vara Criminal de Vitória da Conquista-BA, Leonardo Coelho Bonfim, decidiu por referendar a decisão do colega de plantão, juiz Eduardo Ferreira Padilha, mantendo a decisão de prisão preventiva do PM aposentado Wendel Lagartixa, "diante do risco concreto de reiteração delitiva". O Potiguar deve aguardar julgamento preso por posse de arma de uso restrito e por fraude processual numa unidade da PM em Vitória da Conquista ou Salvador.
O juiz da Vara Criminal de Vitória da Conquista-BA, Leonardo Coelho Bonfim, decidiu por referendar a decisão do colega de plantão, juiz Eduardo Ferreira Padilha, mantendo a decisão de prisão preventiva do PM aposentado Wendel Lagartixa, "diante do risco concreto de reiteração delitiva". O Potiguar deve aguardar julgamento preso por posse de arma de uso restrito e por fraude processual numa unidade da PM em Vitória da Conquista ou Salvador.
Reprodução

O juiz Leonardo Coelho Bonfim, da Vara Criminal do Fórum Municipal de Vitória da Conquista, no Estado da Bahia, decidiu por manter o PM aposentado Wendel Lagartixa preso.

A decisão confirmou a decisão de prisão preventiva decretada na audiência de custódia realizada sábado passado, um dia após a PRF prender Wendel Lagartixa por portar uma pistola de uso restrito das forças armadas.

Aos Policiais da Rodoviária Federal, Lagartixa disse que a arma era dele e que estava indo do Rio Grande do Norte ajudar a segurança das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.

Ao saber, que mesmo assim, seria apresentado a autoridade da Polícia Civil, Wendel Lagartixa, segundo consta no processo, tentou atribuir a propriedade da arma ao irmão Felipe Cortez.

O PM aposentado contava a confissão do irmão e com o depoimento favorável de um sargento da PM e do primo, que estavam com ele no carro em viagem rumo ao Rio Grande do Sul.

O delegado, diante do quadro flagrante, decidiu por prender Wendel Largatixa também por fraude processual. O caso foi levado ao conhecimento do Poder Judiciário no sábado, dia 11.

Num primeiro momento, o juiz de plantão Eduardo Ferreira Padilha mandou soltar o PM aposentado, entretanto, o Ministério Público da Bahia recorreu de imediato.

Com base com informações enviadas pelo MPRN, os promotores da Bahia solicitaram que o flagrante fosse transformado em prisão preventiva e foram prontamente atendidos.

Com a decisão, Wendel Lagartixa foi conduzido para a prisão, para aguardar decisão de nova audiência de Custódia nesta segunda-feira, dia 13 de maio de 2024.

Nesta segunda-feira, o juiz Leonardo Coelho Bonfim manteve o decreto de prisão preventiva e determinou que Lagartixa ficasse preso no Batalhão de Vitória da Conquista ou Salvador.

Na explicação da autoridade do Poder Judiciário do Estado da Bahia, o decreto de prisão preventiva se justifica “diante do risco concreto de reiteração delitiva”.

Veja mais

O processo contra Wendel Largatixa na Bahia

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário