30 MAI 2024 | ATUALIZADO 07:44
VARIEDADES
Por Josemário Alves
01/06/2016 14:20
Atualizado
14/12/2018 01:22

Internautas relatam desespero se perdessem celular; ?choraria muito?

A+   A-  
Assunto chamou atenção depois que o prefeito de Pau dos Ferros se envolveu em um caso policial por invadir uma residência à procura do seu aparelho.
Imagem 1 -  Internautas relatam desespero se perdessem celular; ?choraria muito?
Josemário Alves / MH

O aparelho celular, que antes era usado somente para trocar mensagens de texto e fazer ligações, no caso do famoso lanterninha, hoje em dia, depois que foi substituído pelo smartphone, se tornou um acessório indispensável na vida de muita gente, tornando-se um portador potencial de segredos pessoais, inclusive os íntimos.

A dependência é tanta que, só em pensar em perdê-lo é motivo de desespero. Um caso recente envolvendo o prefeito de Pau dos Ferros, Fabrício Torquato, comprova esta situação.

Fabrício teria perdido o celular em uma festa e depois invadido uma residência à procura dele, alegando que o GPS rastreou o aparelho naquele local. O caso foi parar na delegacia e, segundo o delegado Andson Rodrigo, a acusação está sendo apurada.

O MOSSORÓ HOJE questionou nas suas redes sociais de que forma o celular é usado e qual a importância dele no cotidiano de cada um. As respostas são surpreendentes.

O estudante Renato Caldas, de 17 anos, contou que usa o celular pelo menos 14 horas por dia, largando apenas para dormir. Ele destacou que utiliza o aparelho como ferramenta de estudo e para acessar as redes sociais.

Já o concurseiro Josean Costa, de 30 anos, foi mais além. Ele destacou que considera o celular uma parte vital do corpo humano. “Sem o celular, o corpo morre”, brincou ele.

Perguntamos também como se comportariam caso perdessem o aparelho. Enquanto uns responderam que comprariam outro, a maioria disse que choraria. É o caso da dona de casa Glaucyane Sonalle, de 28 anos.

“Se eu perdesse meu celular, eu choraria muito. Porque uso ele para tudo. Ligação, internet, redes sociais, fotos, jogar...”, contou.

Apesar de parecer estranho, Glaucyane não exagerou. Uma pesquisa feita por uma empresa brasileira de seguros online, no ano passado, apontou que 41% das pessoas que perdem o celular choram.

A explicação é que, devido aos recursos que aparelho oferece, como aplicativos, registrar momentos por meio de fotos e vídeos, agenda de contatos e outros, ficar sem eles é um prejuízo material, emocional e moral.

Segundo a pesquisa, a sensação de vazio é tão grande que 25% das pessoas buscam outro smartphone em menos de 24h. Outros 29% dos entrevistados arranjam outro celular em até uma semana.

E você, o que faria se perdesse seu celular?

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário