17 MAI 2022 | ATUALIZADO 12:24
POLÍCIA
Da redação
14/01/2017 15:13
Atualizado
14/12/2018 09:28

Cabeças de presos estão sendo jogadas no pátio do pavilhão da Penitenciária de Alcaçuz

A+   A-  
“É de grandes proporções”, diz o coordenador penitenciário sobre rebelião em Alcaçuz, que começou por volta das 16h30 da tarde deste sábado, 14; Pelo menos 10 mortes já foram confirmadas
Imagem 1 -  Cabeças de presos estão sendo jogadas no pátio do pavilhão da Penitenciária de Alcaçuz
Os presos ligados ao PCC estouraram os pavilhões V da Penitenciária Estadual de Alcaçuz e avançaram no Pavilhão IV, onde estão os presos do Sindicato do RN, seus inimigos. Ameaçam um banho de sangue. Ao menos três já tiveram as cabeças separadas no corpo e jogadas no pátio.

A rebelião começou por volta das 16h deste sábado, dia 14, logo após terminar a visita. Segundo o coordenador de administração penitenciária, Zemilton Silva, “é de grandes proporções”. Várias viaturas policiais foram acionadas para conter a fúria dos presos.

Ao G1, o major Eduardo Franco, da comunicação da Polícia Militar do RN, disse que o motim começou por volta das 16h30 e houve invasão de presos do pavilhão 5 no pavilhão 4.

Em Alcaçuz existem aproximadamente 1.150 presos ocupando um espaço inicialmente projetado para caber somente a metade. Mas não é este o motivo da rebelião.

O que está acontecendo dentro de Alcaçuz é a guerra de facções, como a que aconteceu em Manaus, que deixou aproximadamente 60 presos mortos. Muitos decapitados.

Em Alcaçuz, os presos ligados ao Sindicato do RN ocupavam os pavilhões I, II e IV. Eles pularam os muros e avançaram no Pavilhão V, onde estão os presos do PCC.

As primeiras imagens mostram três cabeças no pátio e presos ameaçando outros. Em relatos que o MOSSORÓ HOJE teve acesso, já seriam mais de 30 presos mortos, no entanto até o momento foram reconhecidas cerca de 10.

Outra informação que a população precisa saber é que a polícia conseguiu cercar todo o presídio. Não tem registro de fuga. A Secretaria de Segurança e Defesa Social, assim como a Secretaria de Justiça e Cidadania, informaram à imprensa no início da noite que só vão entrar no presídio para contornar os ataques entre as facções com o clarear do dia deste domingo. Os policiais continuam no local de prontidão.

NOTA: SINPOL-RN pede que policiais fiquem em alerta para possível onda de ataques

O SINPOL-RN pede a todos os policiais civis que fiquem em alerta para uma possível onda de ataques por parte de bandidos. Isso porque existem informações vinda de presídios dando conta de um salve geral dos presos no Rio Grande do Norte e em outros estados.

"Inclusive, a penitenciária de Alcaçuz já está com os presos rebelados e outras unidades estão em tensão. Pedimos que os colegas fiquem com atenção redobrada, estando de serviço ou de folga", afirma Paulo César de Macedo, presidente do SINPOL-RN.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário