25 JUL 2024 | ATUALIZADO 18:39
POLÍTICA
Da redação
17/01/2017 05:56
Atualizado
13/12/2018 04:47

Rosalba engana os servidores do mesmo jeito que enganou os eleitores para se eleger

A+   A-  
Ela vai pagar os salários de janeiro/2017 com os recursos que era para pagar todos servidores em dezembro de 2016 e 572 servidores da saúde referentes a novembro/2016.
Imagem 1 -  Rosalba engana os servidores do mesmo jeito que enganou os eleitores para se eleger
A prefeita Rosalba Ciarlini encontrou uma maneira de pagar os servidores de Mossoró em dia. Fácil. Ela vai pagar os salários de janeiro/2017 com os recursos que era para pagar todos servidores de dezembro de 2016 e 572 servidores da saúde referentes a novembro/2016.
 
Com relação aos atrasados, Rosalba anunciou que vai parcelar em vários meses. Talvez nos próximos meses ela admita que as dificuldades em Mossoró não são porque o ex-prefeito Francisco José Júnior é um monstro, como falaram todas as rádios dela, mas devido à crise.
 
A crise financeira atingiu Mossoró com muita força. Além das quedas nos repasses do FPM, que atingiu todos os municípios brasileiros, também teve a queda na arrecadação devido à saída das prestadoras de serviços à Petrobras da região.
 
Antes Mossoró arrecadava por ano R$ 600 milhões e hoje gira em torno de 420 milhões e isto não é culpa do ex-prefeito Francisco José Jínior e menos ainda da atual prefeita Rosalba Ciarlini, que como governadora mostrou profunda incompetência para administrar.
 
O ex-prefeito Francisco José Júnior havia feito cortes reais em vários setores e também reduziu valores de contratos feitos em gestões passadas a dele que representavam um prejuízo muito grande mensalmente para os cofres públicos do município.
 
Um exemplo era o contrato do oxigênio, que custava quase R$ 450 mil por mês aos cofres públicos e depois que o ex-prefeito Francisco José Júnior instalou a usina de oxigênio, estes cursos caíram para R$ 48 mil mensal. Como este haviam vários.
 
A folha de salários dos servidores da Prefeitura de Mossoró gira em torno de 20 milhões. E isto também não é culpa do ex-prefeito Francisco José Júnior, como acusa a atual gestão. É culpa de gestoras do passado, inclusive da própria Rosalba. Naqueles tempos, sobrava dinheiro.
 
Administrar em crise é muito mais do que atribuir as dificuldades ao ex-prefeito. Começa primeiramente sendo claro, transparente e verdadeiro com os fatos. Reconhecendo que existe uma crise financeira grave e unindo todos em torno isto para superá-la.
 
Dizer que vai pagar janeiro de 2017 em dia, deixando de pagar dezembro e parte de novembro passado é uma confissão clara que vai enganar os servidores do município de Mossoró do mesmo jeito que ela enganou os eleitores de Mossoró na campanha passada.
 

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário