17 JUN 2024 | ATUALIZADO 17:27
POLÍCIA
Da redação
31/01/2017 22:17
Atualizado
13/12/2018 13:20

Erra quem defende que Mossoró não precisa reestruturar o Presídio e a Cadeia Pública

A+   A-  
As autoridades de Mossoró precisam rever a opinião de que não se deve deixar o governo do Estado e a União investirem na Penitenciária Agrícola Mário Negócio e na Cadeia Pública, em Mossoró.
Imagem 1 -  Erra quem defende que Mossoró não precisa reestruturar o Presídio e a Cadeia Pública
As autoridades de Mossoró precisam rever a opinião de que não se deve deixar o governo do Estado e a União investirem na Penitenciária Agrícola Mário Negócio e na Cadeia Pública, em Mossoró.
 
E é por uma razão simples: se o governo não reestruturar esta penitenciária e concluir a ampliação da Cadeia Pública, teremos a carnificina de 2016 (217 CVLIs) ampliada em 2017. Só em janeiro deste ano Já 21 homicídio.
 
É fácil entender esta questão.
 
Temos aproximadamente 300 presos no regime fechado, em ambientes que não caberia a metade. É um caldeirão prestes a explodir. E temos 400 presos soltos, assaltando, matando e morrendo em Mossoró.
 
Existe ainda pelo menos 200 ordens de prisão ou para serem decretadas na Justiça contra bandidos soltos. Onde colocariam estes presos? Alguém contrário a este investimento gostaria de receber uma visita destes que estão soltos e deveriam estarem presos?
 
Pois se não houver este investimento, é exatamente isto que vai acontecer. Os presos que não estão presos por não ter onde, vão te visitar, vão te aterrorizar mais do que já aterrorizam. Vão te assaltar. Temos que parar com isto.
 
A cadeia pública deveria ter no máximo 90 presos e está com quase 200. Era para ter espaço para os duzentos. Falta pouco para concluir esta ampliação, que Rosalba não concluiu em 2011 e atual governo quer concluir.
 
Outro fato: O Centro de Detenção Provisório feminino fica no espaço que deveria funcionar uma enfermaria dentro do presídio masculino. Tem gente que não se importa.
 
Mas é bom ressaltar que tem mais de 50 mulheres presas num ambiente totalmente impróprio, sem as menores condições de higiene feminina, por exemplo. As celas são improvisadas.
 
O local é tão quente, que para suportar as presas ficam nuas durante o dia.
 
Portanto, o governo do Estado, com recursos da União, construir muros, guaritas, 3 ou 4 novos pavilhões e concluir a ampliação da Cadeia Pública, não chega a ser trazer presídio para Mossoró.
 
Com estas obras, vai permitir que se tenha controle dos presos que estão presos, de modo que estes presos não terminem nas ruas de Mossoró assaltando, matando e morrendo, como acontece atualmente.
 
Dos mais de 50 que mataram nos últimos 90 dias, mais de 90% são deste sistema prisional. Deveriam, por lei, estarem numa penitenciária, mas na prática estão nas ruas de Mossoró, aterrorizando quem é contra o investimento no presídio.
 
E qual o problema de trazer os presos de Mossoró que estão em Alcaçuz para Mossoró se existir, é claro, na Mário Negócio, estrutura adequada para recebe-los e mantê-los presos?
 
Na verdade, investir na Penitenciária Agrícola Mário Negócio e na ampliação da Cadeia Pública vai é reduzir a matança e a onda de assaltos violentos em Mossoró.
 
Concordo com a presidente da Câmara de Mossoró, vereadora Izabel Montenegro, quando ela diz que precisamos reabrir a Porcelanati e várias outras indústrias em Mossoró.
 
Precisamos mesmo de empregos! Agora pensem: qual empresário sério investiria numa cidade com índices de violência nos dias atuais superior ao Iraque no período de guerra de 2004 a 2007?
 
Outra, Mossoró não quer receber presos de outras cidades. Respeito isto. Porque as outras cidades receberiam os presos de Mossoró? Em algum canto eles tem que ficar. Afinal, são bandidos que estão nos aterrorizando nas ruas.
 
Em tempo, a violência em Mossoró não tem relação com Presídio Federal e sim com o Presídio Estadual, que se transformou numa máquina de fabricar bandidos violentos.

O que as autoridades deveriam fazer eram exigir que os presídios colocassem os presos para trabalharem. Não tem sentido algum o contribuinte pagar média de R$ 3 mil/mês para manter preso 8 mil bandidos.

O Estado precisa urgentemente parar de pegar gente ruim na rua, deixa-los pior centenas de vezes nos presídios, joga-los de volta nas ruas e chamar isto de segurança pública. Um dia as pessoas param de acreditar nisto.

Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário