11 AGO 2022 | ATUALIZADO 16:40
POLÍCIA
Da redação
06/02/2018 12:45
Atualizado
14/12/2018 04:23

"A criminalidade acaba se cruzando em Mossoró", afirma delegado da Polícia Federal

A+   A-  
Nesta terça-feira, 6, dois foram presos pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento na morte do agente penitenciário Henry Charles. Um deles teve mandado de prisão preventiva decretada pela Justiça do Estado
Imagem 1 -  "A criminalidade acaba se cruzando em Mossoró", afirma delegado da Polícia Federal
Valéria Lima | Mossoró Hoje
O delegado Samuel Elanio Oliveira, chege da Polícia Federal em Mossoró, afirmou que os crimes investigados pela PF e Polícia Civil do município acabam se cruzando porque os investigados muitas vezes são os mesmos.

"As investigações tê m andamento da polícia civil vai vir a casar com as investigações que a gente tá trabalhando relacionado ao caso Henry, da Polícia Federal, até porque a criminalidade em Mossoró acaba se cruzando, seja numa atividade A, B ou C", afirmou Samuel Elanio.

Leia mais
PF prende dois suspeitos de matar agente penitenciário federal em Mossoró
Agente penitenciário federal é executado a tiros no baiarro Boa Vista em Mossoró

É o caso de Everton Fernandes Simão, um dos presos nesta terça-feira, 6, pela PF suspeito de envolvimento na morte do agente penitenciário federal Henry Charles, ocorrido em abril de 2017, no bairro Boa Vista. Contra ele, a Polícia Federal cumpriu mandado de prisão temporária. No entranto, a Justiça do Estado também já decretou sua prisão preventiva, solicitada pela Polícia Civil.

"Pode ter muita mais gente envolvida que a gente num sabe ainda", concluiu o delegado.



 

Notas

UNP 27 de junho de 2022

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário